Inep, rede global de epidemiologistas, publica documento sobre conflito de interesses

Foto: Peter Ilicciev/Fiocruz Imagens

“A ciência pode ser usada de forma indevida tanto intencionalmente, por erro, ou por tendenciosidades”, afirmou a INEP (International Network for Epidemiology in Policy) ao redigir uma declaração sobre Conflito de Interesses e Divulgação em Epidemiologia. A rede global tem como objetivo “fornecer uma ponte entre a pesquisa epidemiológica e uma política de saúde baseada em evidências, racional e formulada pelo governo que atenda ao interesse público”.

Para a INEP os conflitos de interesses geralmente surgem na comunidade científica por patrocínios confidenciais, bolsas e contratos ou promessas de estabilidade no emprego. Os cientistas envolvidos podem ser parciais na produção e análise dos dados, muitas vezes divulgando informações erradas, a serviço das instituições ou pessoas que garantem seus benefícios. “Os efeitos do conflito de interesses podem incluir o enfraquecimento da integridade científica, a erosão da confiança pública na ciência da epidemiologia e prejudicar os trabalhadores, o público e o meio ambiente”, afirma a rede global de pesquisadores.

O documento atesta que “O uso indevido da ciência epidemiológica que está associado com o conflito de interesses tem sido bem-sucedido e, portanto, continua a crescer em detrimento da saúde pública. Esta Declaração de Posicionamento fornece exemplos de grande destaque sobre o uso indevido da pesquisa epidemiológica e o fracasso para divulgar os conflitos de interesses que foram reportados na mídia e na literatura científica; também estão incluídos exemplos recentes criados pelos coautores e contribuidores da INEP”

Confira o sumário executivo, em português.

Para mais informações, acesse o site da Inep, em inglês.

Comments

comments

Deixe uma resposta