C&SC: confira prazos de três chamadas abertas para números temáticos

Trabalhador em obra do hospital de campanha de combate ao coronavírus no estádio do Pacaembu, em São Paulo. Foto: GOVESP

A Revista Ciência & Saúde Coletiva, publicação científica editada pela Abrasco, está com três chamadas públicas abertas para a submissão de artigos para diferentes núcleos temáticos com prazos de encerramento próximos.

O número temático Desafios da Saúde do Trabalhador no mundo contemporâneo tem como proposta central abrir espaço para reflexões acerca do contexto atual e dos principais desafios para o campo da Saúde do Trabalhador no mundo contemporâneo. Serão priorizados os seguintes eixos: Desemprego, informalidade e saúde do trabalhador; Estratégias de investigação em saúde e o protagonismo dos trabalhadores; Formação e comunicação em Saúde do Trabalhador; Precarização e intensificação do trabalho; Saúde mental e trabalho; Substâncias químicas nas indústrias e a saúde de trabalhadores e populações e Vigilância em Saúde do Trabalhador. O encerramento da chamada pública é no dia 30 de maio.

Condição juvenil na América Latina: demandas e enfrentamentos às iniquidades em saúde é tema do número temático com encerramento da chamada pública no dia 31 de maio. O objetivo da edição é estimular o debate sobre temáticas que abordem a relação entre condição juvenil contemporânea e saúde no contexto brasileiro e latino-americano. Serão bem-vindos trabalhos que abordem temas como sexualidade; morbimortalidade por acidentes e violência; jovens em contextos de medidas socioeducativas e prisionais; mundo do trabalho; internet; saúde mental; medicalização; ativismos e movimentos sociais; análises de respostas institucionais e de políticas públicas; experiências exitosas em serviços e programas de saúde e educação em saúde.

O número temático Programa De Volta Para Casa está com a submissão de artigos aberta até o dia 30 de junho. A escolha do Programa de Volta Para Casa para esta edição temática é justificada por sua importância no contexto da reforma psiquiátrica brasileira, seu caráter intersetorial e pelo reconhecimento da OPAS/OMS de sua relevância para o processo de desinstitucionalização de pessoas com histórico de longas internações psiquiátricas e à potencialidade como dispositivo de apoio para reinserção na vida comunitária.

Para mais informações, consulte a página da revista Ciência & Saúde Coletiva.

Comments

comments

Deixe uma resposta