Ao Globo, Gulnar Azevedo alerta que a pandemia não está sob controle no Rio de Janeiro

Prática esportiva coletiva está liberada nas prais do Rio desde julho. Foto: Tânia Rego/Agência Brasil

Matéria do jornal O Globo desta quarta-feira sobre a ampliação das medidas de flexibilização no isolamento social na cidade do Rio de Janeiro e na região serrana traz a participação de Gulnar Azevedo, presidente da Abrasco, entre os entrevistados. Apesar da queda nas médias móveis de casos e óbitos na capital e da estabilidade do quadro no interior do estado, especialistas apontaram que o momento ainda é de preocupação, e não de relaxamento.

Ao jornal, Gulnar Azevedo explicou que a pandemia ainda não está sob controle e que o número de mortes é elevado no Rio de Janeiro. “No início, quando falávamos de achatar a curva, era lá em baixo, não com esses números atuais. Não podemos ter tranquilidade. Podemos subir rapidamente a qualquer momento porque estabilizamos em um nível alto. Algumas cidades do interior estão registrando mais casos. Nosso maior perigo é o transporte público lotado, que favorece a disseminação rápida”, esclareceu a presidente da Abrasco e professora da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

Também entrevistado na reportagem, Danilo Klein, epidemiologista-chefe da Secretaria Extraordinária de Enfrentamento à Covid-19 do estado, alertou que há demora nas notificações. “A pandemia ocorre com variações regionais. Para as regiões Metropolitana 1 e 2, onde estão a capital, a Baixada e Niterói, vemos claramente uma queda nas curvas da doença há mais de dez semanas. Mas há áreas que estão passando agora pelo momento grave de suas primeiras ondas, como a Região Serrana, com uma situação mais delicada, por exemplo, em Nova Friburgo”, finalizou.

Leia a matéria de O Globo na íntegra.

Comments

comments

Deixe uma resposta