Normas de publicação

“Ensaio” é uma palavra usada em duas acepções. No senso comum, indica uma tentativa, uma experiência, uma preparação para algo posterior e a ser melhor apresentado. Mas também se aplica a estudos analíticos e interpretativos sobre determinado assunto, uma obra ainda em aberto. O Ensaio é uma forma de produção e de divulgação de conhecimento que caiu em desuso, pelo menos entre os cientistas e pesquisadores. Isto vem acontecendo, talvez, porque, para os cânones considerados científicos, o Ensaio seria apenas um vestígio arqueológico da antiga e ultrapassada metafísica. Reflexões autorreferentes, crítica fundamentada em especulações filosóficas ou ideológicas com pequena referência ao concreto ou ao real.

Entretanto, o Ensaio pode ser muito mais que isto. A metodologia de elaboração de um ensaio exige cultura e depende da utilização de múltiplas visões e de evidências de várias origens para interpretação de um tema. O ensaísta está sempre em busca de sentido para as teorias, conceitos, eventos naturais e sociais. Busca compreender as práticas humanas. O ensaio é sempre uma espécie de análise ampliada e livre, em que o principal critério para validá-lo é a consistência da compreensão produzida. O Ensaio busca elucidar o sentido e as repercussões das ações humanas, procura construir novas interrogações cruzando paradigmas e se valendo de campos científicos diversos. O Ensaio é um texto que sugere sua própria incompletude. As considerações elaboradas buscam esclarecer, mas estão sempre inacabadas, em aberto, em experimentação. O ensaísta, em geral, adota uma postura humilde, que não reivindica a verdade absoluta.

A Revista Ensaios & Diálogos é um espaço para que sanitaristas, investigadores, profissionais de saúde, pessoas preocupadas com a saúde, com a ciência, com a formação, com o bem-estar, com a justiça social e com a felicidade escrevam e debatam. Nossa principal regra é o respeito ao outro. Não há formato para os escritos e nem normas para citação, a não ser aquela que recomenda explicitar as referências e autores sobre os quais se apoiam as análises.