“Uma forma de entender o racismo é pela omissão de dados, e o quesito raça e cor é um deles”, Alexandre da Silva no podcast da UNFPA

O professor e pesquisador Alexandre da Silva, membro do grupo Racismo e Saúde da Abrasco, participou do podcast “Fala UNFPA” do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), que debateu os impactos do racismo e da discriminação na saúde, abordando também os efeitos da COVID-19 entre a população negra. Neste episódio, Alexandre apontou que o racismo faz com que a população negra fique sob maior risco de adoecimento e de morte durante a pandemia no Brasil, e que é preciso fazer um enfrentamento completo e intersetorial. Segundo ele, “enfrentamos hoje um maior risco de óbito para pessoas negras e pardas”, o que impõe a necessidade de se fazer essa segmentação dos casos.

Além da participação de Alexandre, o podcast traz o depoimento de uma ativista do movimento negro de Salvador (BA), a designer gráfica Josy Azeviche, que relata uma experiência constrangedora sofrida no sistema de saúde enquanto buscava um atendimento em saúde reprodutiva. A representante auxiliar do UNFPA, Junia Quiroga, também participa explicando por que enfrentar a discriminação e a desigualdade são importantes para o UNFPA e para as Nações Unidas.

O “Fala, UNFPA” traz, quinzenalmente, informações, dados e conversas saúde sexual e reprodutiva, equidade de gênero, raça e etnia, população e desenvolvimento, juventude, cooperação entre países do hemisfério sul e assistência humanitária.

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *