Lançamento do livro Saberes em Educação Popular: Autores e Autoras da Paraíba – Volume 1

No dia 18 novembro, aconteceu o lançamento da Coletânea “Saberes em Educação Popular: autoras e autores da Paraíba – Volume 1”. O lançamento se deu através de uma live transmitida pelo Youtube. Aqui expressamos gratidão à Associação Brasileira de Saúde Coletiva (ABRASCO) que, na representação de César Paro, se dispôs a divulgar e ajudar na transmissão deste momento.

O livro é uma realização do Grupo de Pesquisa em Extensão Popular (EXTELAR), com apoio do Núcleo Interdisciplinar de Pesquisa e Extensão em Economia Solidária e Educação Popular (NUPLAR), do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE), Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva (PPGSC), todos ancorados na Universidade Federal da Paraíba (UFPB). A obra faz parte do projeto que foi idealizado pelo professor doutor aposentado da UFPB e educador popular José Francisco de Melo Neto, fundador do Extelar.

O evento foi apresentado cordialmente por Andréa Alice Faria, engenheira agrônoma e doutora em Educação pelo PPGE-UFPB, que após a abertura artística de sextilhas de Cordel cantadas em repente por Edno de Luna (geógrafo e mestrando em Educação pelo PPGE-UFPB), estabeleceu a organização da noite em dois momentos.

O primeiro momento contou com falas que traduzem o significado desta coletânea para o contexto atual, no tocante do ensino universitário, do cenário político e das práticas de pesquisa das pós-graduações e iniciações científicas. Enquanto, no segundo momento, pudemos ouvir um pouco do pensamento dos atores e atrizes caros à Educação Popular paraibana cuja as trajetórias permeiam este primeiro volume da coleção.

Cabe aqui citar que este momento foi parte da campanha “Paulo Freire Vive”, promovida pelo Conselho de Educação de Adultos da América Latina (CEAAL), aqui representado pela presença do professor da Universidade Federal da Paraíba Timothy Ireland, que fez a leitura de trechos do Manifesto da Campanha Latino-Americana e Caribenha em Defesa do Legado de Paulo Freire, que pode ser lido na íntegra através do link: http://cdhep.org.br/wp-content/uploads/2019/07/ManifestoDefensaLegadoFreirePT.pdf

Segundo Pedro Cruz, professor do Departamento de Promoção à Saúde e do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE-UFPB), bem como coordenador do grupo de pesquisa Extelar, esse lançamento representa um importante momento na trajetória do grupo de pesquisa, pois “é um fruto do longo e contínuo processo de pesquisa e sistematização que exigiu dedicação rigorosa e compromissada das mulheres e dos homens que são membros do Extelar”.

A Coletânea Saberes em Educação Popular: autoras e autores da Paraíba, objetiva apresentar a reconstituição da história da Educação Popular no estado, mas partindo do registro, da memória e das contribuições de referências tanto do meio acadêmico quanto do meio popular. Segundo Pedro Cruz, é fruto de uma investigação e uma construção debruçada no trajeto e produções dessas pessoas, sendo possíveis através de entrevistas estruturadas pelo olhar da História Oral, analisando as principais contribuições das várias práticas sociais e trabalhos dessa perspectiva metodológica para o pensamento educacional brasileiro e desenvolvimento de ações sociais e políticas públicas.

O processo de feitura desse volume foi rico e também rigoroso. Todos os textos presentes passaram por leituras, correções e contribuições individuais e coletivas, realizadas entre os membros do grupo de pesquisa e os próprios autores e autoras envolvidos.

Por essa razão, ao iniciar a leitura o livro podemos esperar vivenciar os aprendizados de mulheres e de homens que, sendo educadoras e educadores populares, se dedicaram em sua história pessoal e profissional a construir processos formativos orientados pelas perspectivas pedagógicas, metodológicas, éticas e políticas que são profundamente conectadas com o fazer e o pensar educacional humanizador e emancipador. Necessariamente um pensar e fazer educacional que é promotor da autonomia das pessoas, por meio do incentivo à participação crítica, proativa e criativa na construção de um trabalho social em diferentes áreas.

Um dos autores desse primeiro volume da coletânea, professor do Centro de Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE-UFPB), Severino Silva, estava presente no lançamento e considerou que: “esse trato com a memória é muito significativo. É um trato que circula por vários campos – acadêmicos, religiosos, cooperativos, pessoais, etc. O próprio título aponta o quanto é desafiador. Temos a categoria ‘educador’ e quando a gente se apropria dessa categoria nós podemos minar com a visão pragmática, disciplinar, da ciência. O educador aqui não é só o professor, ele é o médico, o agrônomo, etc. […] Não é apenas um livro de memórias, é um livro costurado e tecido por pessoas que estão buscando construir uma experiência, e como ganha movimento o educador que extrapola essa sua dimensão técnica e agrega esse mundo Popular”.

Um exemplo de educadora que ultrapassa as dimensões técnicas é Palmira Lopes, que também é uma das autoras desse primeiro volume da coletânea. Dona Palmira, como é carinhosamente chamada, é uma educadora popular, líder comunitária e integrante de movimentos sociais. Na sua fala durante o lançamento, ela revelou que foi “criada e tratada com plantas medicinais” e assim criou seus filhos e filhas; que inicia seu trabalho junto com a paróquia, com a Pastoral da Criança, com a Universidade, até assumir a liderança do Movimento Popular de Saúde na Paraíba (MOPS-PB) em contato com o Ministério da Saúde em 2012. Conforme nos conta, Palmira “Viajou muito, de estado em estado, e a troca de experiência lhe ensinou muito. […] O que aprendia ela também ensinava à sua comunidade e colocava em prática”. Segundo a autora: “para a gente conquistar as lutas com a Educação Popular a gente precisa de organização. Precisamos nos organizar e compartilhar nosso conhecimento”.

Segundo Alder Júlio Ferreira Calado, um dos autores da coletânea e referência importante na área da Educação com ênfase no olhar freireano, “muitos volumes serão necessários para dar conta do mostruário dessas experiências de Educação Popular na Paraíba”, e o Extelar concorda, pois a grandeza desses processos educativos precisa ser divulgada e compartilhada para que possam fomentar e servir de inspiração para o desenvolvimento de novas experiências educativas comprometidas com o pensar e o fazer autônomo.

Eymard Mourão Vasconcelos, professor aposentado da Universidade Federal da Paraíba e educador popular, referência nacional para a Educação Popular em Saúde, também está presente nesse primeiro volume da coletânea. De acordo com ele, quando se tem uma longa história de vida alguns aspectos parecem ficar um pouco fragmentados e “Esse trabalho teórico desencadeado pelo Extelar me ajudou a entender mais o ‘todo’ […] aqui já temos muitas lideranças no campo da Educação Popular e essas lideranças são importantes” pois conseguimos aprender lições valiosas através de seus caminhos e direções.

A professora do Centro de Ciências da Saúde da UFPB e atual coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Modelos de Decisão e Saúde (PPGMDS-UFPB), Kátia Ribeiro, é mais uma das autoras do primeiro volume da coletânea. Ela considerou que: “É uma alegria, um prazer, um privilégio imenso estar nesse momento com essas pessoas que foram e continuam sendo tão importantes para a minha vida como educadora e na minha busca de me constituir como educadora popular. […] O livro me proporcionou a oportunidade de fazer uma reconstituição da minha trajetória com a educação popular, pude rever o valor que teve para minha vida a oportunidade de estar como discente no mestrado o doutorado em educação […]”.

Por fim, gostaríamos de destacar o contexto atual no qual o lançamento desta obra ocorre e o que isso significa para o Grupo de Pesquisa Extelar e seus pares.

O professor Danilo Costa, também integrante do Sindicato de Professores da Universidade Federal da Paraíba (ADUFPB), apontou durante a cerimônia que a UFPB vem presenciando um golpe contra sua autonomia e o princípio constitucional de sua gestão democrática. O Diário Oficial da União do dia 5 de novembro de 2020, apresentou o Reitor que foi empossado pelo Governo Federal, ignorando a consulta eleitoral da instituição que deflagrou derrota de sua chapa com apenas 5,3% dos votos e nenhum voto no colegiado superior.

Por essa razão, o grupo dedica o lançamento desta obra não apenas aos sujeitos que compuseram esse primeiro volume, mas transmite os agradecimentos a todos e todas que apoiam continuamente iniciativas de grupos como o Extelar, especialmente nesse atual contexto de desqualificação da ciência e deslegitimação do trabalho que o ambiente universitário realiza. Expressamos assim nossa solidariedade e doamos a força de nosso trabalho a todos os setores, da comunidade acadêmica e da sociedade civil, que se colocam contra esses retrocessos civilizatórios.

Confira como foi o evento de lançamento na íntegra:

Comments

comments




Comments

comments

Powered by Facebook Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *