Participação do GT Educação Popular em Saúde no VI ENEPS

Foto de Maira Mathias / ESPJV
Texto de Luanda Lima, coordenadora do GT Educação Popular em Saúde da Abrasco

Inspirando uma grande Tenda Paulo Freire, ocorreu entre os dias 06 e 09 de fevereiro de 2020, na Universidade Federal do Delta do Parnaíba, Parnaíba/PI, o VI Encontro Nacional de Educação Popular em Saúde (ENEPS) afirmando a Educação Popular em Saúde – EPS como ambiente de resistência, de reflexões e práticas que aprimoram e contribuem para a democratização do espaço público e de construção e defesa do SUS.

Tendo como tema os “Caminhos para a democracia, a autonomia e o Bem viver”, o encontro teve participação de mais de 300 educadores e educadoras populares, vindos detodas as regiões do país, participantes de movimentos sociais, das universidades, de entidades governamentais, do terceiro setor e de diversos espaços sociais, permitindo a participação de todas e todos. Para acolher os participantes o encontro reinventou-se, seguindo o modelo de uma grande roda, acolhendo todos os olhares e falas. A metodologia, pensada coletivamente foi diferente dos cinco encontros anteriores. Todas as atividades foram organizadas em rodas de conversa e de diálogo, com questões disparadoras apresentadas por pessoas convidadas ou pelos “apresentadores de trabalhos”, previamente inscritos, sempre tendo como horizonte os nossos desafios e a atuação do movimento de EPS para a consolidação da democracia, da autonomia e do Bem viver.A arte e a cultura ocuparam o palco do encontro com toda sua potência pedagógica, criando momentos de problematização e de síntese diariamente com e pelos participantes.

O VI ENEPS foi um grande momento de troca, de partilha de experiências e de reflexão sobre as estratégias de ação e enfrentamento do movimento de Educação Popular e Saúde e  a Abrasco participou ativamente de sua construção, especialmente através de seu vice-presidente José Ivo Pedrosa, coordenador geral do VI ENEPS, e dos integrantes do GT de Educação Popular em Saúde da Abrasco. O encontro permitiu a valorização do espaço de construção coletiva, da EPS e dos coletivos de educação popular pelo Brasil, necessária para a garantia da Saúde e do Estado de Direitos. O encontro deixa um legado de conhecimento, cultura, resistência e saberes e tirou como ações a mobilização dos coletivos em todo o território, para ações locais e globais e articuladas com a Educação Popular.

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *