Revista de Saúde Coletiva da UEFS entra para LATINDEX


Criada em 2005 como veículo vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva da Universidade Estadual de Feira de Santana (PPGSC/UEFS), a Revista de Saúde Coletiva da UEFS galga reconhecimento internacional e passa a compor a base Latindex de periódicos científicos.

A Latindex é fruto da cooperação de uma rede de instituições que funcionam de maneira coordenada para reunir e disseminar informação científica de publicações seriadas e produzidas por países ibero-americanos. Idealizada pela Universidad Nacional Autónoma de México (UNAM) em 1995, começou a ampliar sua estrutura em 1997, tornando-se uma rede regional. Atualmente a rede conta com 9.440 periódicos eletrônicos catalogados.

“A manutenção de uma revista voltada para dar visibilidade nacional e internacional a nossa produção regional tem sido entendida como essencial e estratégica tanto para a formação de pesquisadores e docentes, como no auxílio ao diagnóstico situacional da saúde para gestores e planejadores. A indexação na Latindex, e em outras bases em um futuro próximo, casa perfeitamente com o nosso estágio necessário de internacionalização do ensino e da pesquisa, pois abre espaço para interações, cooperações e o principal, que é o arejamento do pensamento que guia qualquer trabalho acadêmico. A nossa responsabilidade aumenta, mas o entusiasmo cresce em proporção ainda maior” diz Thereza Christina Bahia Coelho, editora-chefe do periódico e docente da UEFS, que coordena a publicação juntamente com as editoras associadas Tânia Maria de Araújo e Maura Maria Guimarães de Almeida, também docentes da UEFS. As docentes compõem o Fórum de Editores em Saúde Coletiva da Abrasco.

A entrada na base, acredita Thereza, irá aumentar a procura dos autores. Para atender a demanda, a revista já trabalha com o sistema editorial de fluxo contínuo. “Foi com essa intenção que passamos para a publicação continua, para que os melhores artigos, que geram menos idas e vindas no processo avaliativo, possam transitar mais rápido e ganhar publicização ágil, sem o entrave do fechamento dos números. O pesquisador não precisará esperar tanto tempo para publicar sua pesquisa e isso atrairá bons artigos”, espera a editora, sem abrir mão do “compromisso pedagógico” da publicação em buscar melhorar a qualidade de todos os trabalhos submetidos, por meio de uma boa avaliação interpares e da própria editoração.

Do primeiro volume até o final de 2018, a RSC/UEFS já publicados 71 artigos, que obtiveram 61.789 acessos ao resumo e 34.488 acessos à composição final em PDF. Em 2018, 78% dos artigos submetidos foram aprovados e 22% rejeitados, sendo o tempo médio de publicação de 174 dias. O Volume 9 encontra-se aberto para submissão de artigos originais – clique e acesse.

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *