“Vigilância Sanitária, Risco e Desigualdade:quem se importa?” Ecos do III Simbravisa


O III Simpósio Brasileiro de Vigilância Sanitária – III Simbravisa – realizado entre 26 e 29 de novembro em Florianópolis, chega ao fim com um saldo significativo. Com o tema “Vigilância Sanitária, Risco e Desigualdade: quem se importa?”, o evento contou com a participação de mais de 2000 profissionais das áreas de ensino, pesquisa e serviço.

Dentre as várias atividades, o destaque ficou para a Discussões Temáticas como forma inovadora de divulgação dos trabalhos aceitos, uma vez que, abolida a distinção entre as modalidades, todos os trabalhos foram expostos como pôsteres e participaram de uma apresentação oral em forma de debate – modalidade Discussão Temática. Cada sala de Discussão Temática foi composta pelos autores dos trabalhos incluídos num dado eixo temático (18 ao todo) e dois coordenadores: um responsável por apresentar os trabalhos ali reunidos e formular questões relevantes sobre o tema e o outro atuou como relator, registrando o desenvolvimento da discussão.

O alto nível dos debates foi abrilhantado por quatro conferências que apresentaram temas de vanguarda para a Vigilância Sanitária e para a Saúde de um modo geral: “A Vigilância Sanitária na Saúde Coletiva”, com Paulo Gadelha, “Desigualdade e saúde: quem se importa?”, com Amélia Cohn, “Risco no contexto da saúde internacional”, com Deise de Freitas Lima Ventura, e “Vigilância sanitária: responsabilidade pública”, com Dalmo Dallari.

Acompanhe em nosso site mais notícias sobre o III Simbravisa e seus desdobramentos!

Veja, a seguir, os dois documentos aprovados na Plenária de Encerramento do Simpósio.

Comments

comments