O IV Simpósio Brasileiro de Vigilância Sanitária tem como principais objetivos estimular a pesquisa e a divulgação da produção científica


Começou na capital cearense, no dia 23/11, o maior evento da vigilância sanitária do País, o IV Simpósio Brasileiro de Vigilância Sanitária (SIMBRAVISA). Promovido pela ABRASCO, através do seu Grupo Temático de Vigilância Sanitária (GTVISA), o encontro deste ano tem como tema “Vigilância Sanitária e os 20 anos da Constituição Cidadã” e celebra duas décadas da almejada Constituição Cidadã, que possibilitou para a política de saúde no Brasil notável avanço no sentido da universalidade. A vigilância sanitária integra nesta perspectiva, a afirmação de valores éticos e solidários, da saúde pública e na proteção e regulação sanitária. O evento será realizado, até o próximo dia 26 de novembro, no Centro de Convenções de Fortaleza, localizado na Avenida Washington Soares, 1141 (Bairro Edson Queiroz, Fortaleza – CE).
VEJA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA DO SIMPÓSIO AQUI.
O IV Simpósio Brasileiro de Vigilância Sanitária tem como principais objetivos estimular a pesquisa e a divulgação da produção científica nas instituições acadêmicas e de serviços da área de vigilância sanitária, fomentar a produção de subsídios para efetivação do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária, refletir e discutir sobre as questões de vigilância sanitária e as contribuições na redução dos riscos e desigualdades em saúde e na construção da cidadania. Realizado de dois em dois anos, o encontro acontece pela primeira vez no Nordeste e reunirá aproximadamente 2.500 profissionais de pesquisa, ensino e serviços de vigilância sanitária, de laboratório e áreas afins.
Atividades pré-simpósio

Inovando em seu formato, o Simbravisa promoveu, NOS DIAS 22 E 23 (SÁBADO E DOMINGO) eventos pré-simpósio com o intuito de reforçar o caráter científico voltado para o serviço. Oficinas, mini-cursos e reuniões atrairão mais de 600 participantes à Escola de Saúde Pública do Ceará (ESP/CE), na Av. Antônio Justa, 3161, Meireles, nos dois dias que antecedem o evento.

Destaque para a oficina “Encerramento do projeto TC 37 – Implantação de Metodologia de Isolamento e contagem de Enterobacter Sakazakii em laboratórios oficiais de saúde pública”. O projeto, realizado em parceria pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), durou dois anos e teve como objetivo trazer ao Brasil as mais modernas técnicas da Organização Mundial da Saúde (OMS) para detecção da bactéria responsável por infecções hospitalares em crianças recém nascidas. A doença, difícil de diagnosticar sem recursos laboratoriais e metodologias adequadas, tem um índice de mortalidade de 33%. No Brasil não se dispõe de dados oficiais do índice de infecção pela bactéria, carência que deve ser corrigida a partir da implantação da nova metodologia no país.

Outro destaque da programação é a ”Oficina de Avaliação das Capacidades Básicas de Vigilância Sanitária para Portos, Aeroportos e Passagens de Fronteira”, que compõem o novo Regulamento Sanitário Internacional (RSI). O documento, aprovado pela OMS em 2005 e que começou a vigorar em junho do ano passado, estabelece compromissos e responsabilidades para que os países invistam em proteção, promoção e controle, com o intuito de dar uma resposta da saúde pública frente à ameaça de disseminação internacional de doenças, e evitar interferências desnecessárias no tráfego e comércio internacionais.

Serão realizadas nos dois dias a reunião da Comissão Intersetorial de Vigilância Sanitária e Farmacoepidemiologia do Conselho Nacional de Saúde e a reunião para organização da I Conferência Nacional de Saúde Ambiental. Nos mini-cursos serão tratados temas como Procedimento Administrativo em Vigilância Sanitária, Avaliação em Saúde e Vigilância Sanitária e Biossegurança e Gerenciamento de Resíduos e Serviços de Saúde.

Comments

comments