Encerramento do Simbravisa destaca produção científica aliada à prática


Mais de 1.300 participantes presentes, 882 trabalhos aceitos, 37 discussões temáticas, nove comunicações coordenadas, quatro conferências, três grandes encontros e 33 painéis. Ao encerramento do VI Simpósio Brasileiro de Vigilância Sanitária (VI Simbravisa), o coordenador do GT Visa Geraldo Lucchese apresentou esses e outros números, como a aprovação acima de 95% dos quesitos programação, atendimento e comunicação, que confirmam a dimensão que os três dias em Porto Alegre trouxeram para o campo da Vigilância Sanitária.

A mesa de encerramento foi composta por Lucchese, pelas presidentes dos comitês científico e organizador, Lenice Reis e Edna Covem, respectivamente, por Sirlei Famer, chefe da divisão da Vigilância Sanitária do estado do Rio Grande do Sul e por Luis Augusto Facchini, membro do Conselho Diretor da Abrasco. Entre os agradecimentos, foram lembrados os patrocinadores como a Anvisa, o governo do estado, a Secretaria Executiva da Abrasco e aos membros do GT Visa. “Esse foi um evento feito a muitas mãos, desejo ao próximo presidente da comissão científica a mesma sorte que tive”, disse Lenice . “O GT de Vigilância Sanitária está de parabéns por ter realizado um evento que apontou para uma vigilância sanitária de dimensões universais na saúde coletiva”, disse Facchini, que convidou ainda os presentes para participarem do mini-congresso da entidade, que será realizado em 13 e 14 de novembro, no Rio de Janeiro, dentro das atividades do VI Congresso Brasileiro de Ciências Sociais e Humanas em Saúde.

Moção de apoio e próximo congresso: Os presentes à cerimônia de encerramento aprovaram ainda a moção de apoio ao serviço de vigilância sanitária do município do Rio de Janeiro que prezam pela ética em seu trabalho e definiram por preparar um documento final que consolide as reflexões a respeito da vigilância sanitária como processo da reforma sanitária e indutora de desenvolvimento e inclusão social e sobre as necessidades de estruturação do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária nas três esferas da gestão.

Algumas cidades já se mobilizam para defender suas candidaturas como sede do próximo simpósio. Apresentaram intenção profissionais oriundos de Belo Horizonte (MG), Salvador (BA), Natal (RN) e Rio Branco (AC). As secretaria municipal de Salvador, a estadual da Bahia e membros do Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal da Bahia declararam publicamente a chancela para receber os simposiastas para mais um encontro que desde já promete fortalecer novas visões para a vigilância sanitária brasileira e latino-americana.

Comments

comments

Deixe uma resposta