Abrasco defende equidade em evento comemorativo ao Dia Mundial da Saúde

A importância da Atenção Primária à Saúde (APS) esteve no centro das atividades promovidas pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) em 5 de abril para a celebração do Dia Mundial da Saúde (dia 07/04), na sede da entidade, em Brasília (DF). Estiveram presentes a representante da OPAS no Brasil, Socorro Gross, os presidentes dos conselhos nacionais das Secretarias Estaduais de Saúde (Conass), Leonardo Vilela, e das Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), Mauro Junqueira; e o Secretário Executivo adjunto do Ministério da Saúde, Erno Harzheim. Após as falas institucionais, houve uma roda de conversa sobre os desafios da APS, com a participação de representantes de associações dedicadas ao tema e especialistas. A Abrasco foi representada por Claunara Schilling, professora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e integrante do Comitê Gestor da Rede APS.

+ Comitê gestor da Rede APS reuniu-se em BH para traçar estratégias para 2019

Coordenada pela jornalista Claudia Collucci, a roda de conversa deu destaque a questão do financiamento para a APS e a importância da formação de recursos humanos voltados para as necessidades do SUS. Claunara alertou sobre o impacto dos determinantes socioeconômicos na saúde da população e defendeu mais financiamento e equidade nas ações de saúde. “Temos que romper com as iniquidades nos extremos. Como proteger as populações mais vulneráveis no contexto de crise,e reduzir a iniquidades com mais ricos, que usam planos de saúde especiais, com tecnologias desnecessárias e causadoras de danos? Por mais que pese a eficiência do gasto em saúde, a verdade é que investimos aquém do necessário, cerca de R$ 236 por habitante na APS frente aos U$ 50 recomendados pela Organização Mundial da Saúde”, ressaltou a abrasquiana. Participaram também Daniel Knupp, presidente da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade; Carla Pintas, presidente da Associação Brasileira de Enfermagem de Família e Comunidade e Robert Janett, pesquisador da Harvard Medical School.

Prêmio APS Forte para o SUS: Coube a Renato Tasca, coordenador da Unidade Técnica de Sistemas e Serviços de Saúde da OPAS, apresentar o Prêmio APS Forte para o SUS: Acesso Universal, uma iniciativa da OPAS com o MS. O objetivo é identificar, dar visibilidade, reconhecer e promover iniciativas municipais, estaduais ou regionais que tenham como foco a melhoria da atenção primária à saúde (APS), principalmente no aspecto do acesso. “Com o Prêmio teremos um panorama de como está a inovação na APS no Brasil”, explicou Tasca.

As inscrições para concorrer ao prêmio devem ser feitas pelas equipes de Saúde da Família, coordenações de Atenção Básica regionais ou municipais, secretarias municipais e estaduais de saúde entre os dias 15 de abril e 15 de junho. Confira as linhas temáticas e demais informações no edital.  Leia também a publicação original. 

Comments

comments

Deixe uma resposta