A programação cultural no Abrascão 2018

Confira a programação cultural deste 12º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva da Abrasco.

26 DE JULHO

Exposição “Ausência”

Seis anos, mais de 15 visitas ao presídio, seis mulheres, mais de 40 cartas e muita linha e retalhos. A exposição “Ausência”, de autoria da fotógrafa Nana Moraes, retrata a realidade de mulheres presas e suas relações com filhos e familiares, construídas através de fotografias, troca de cartas e tecidos costurados e bordados em forma de colchas, mantas e toalhas. O trabalho faz parte da trilogia “DesAmadas”, onde Nana desvela a vida de mulheres estigmatizadas. O primeiro volume foi lançado em 2007 com o livro “Andorinhas”, que investiga a vida de prostitutas de estrada.

Data: 26 a 29 de julho

Horários: visitação livre das 9h às 16h

Local: Cavalariça

Faixa etária: livre

 

Visita ao Borboletário

O espaço é ornamentado por plantas e habitado por borboletas de diferentes áreas tropicais do continente americano. Quatro espécies poderão ser apreciadas pelos visitantes: olho-de-coruja (Caligo illioneus), ponto-de-laranja (Anteos menippe), borboleta-brancão (Ascia monuste) e Julia (Dryas iulia).

Data: 26 a 28 de julho

Horários: visitas guiadas às 9h I 9h30 I 10h I 10h30 I 11h I 11h30 I 12h I 12h30 I 13h I 13h30 I 14h I 14h30 I 15h I 15h30 (a cada 30 minutos, distribuição de 18 pulseiras na tenda ao lado do Credenciamento)

Local: área externa no entorno da Tenda da Ciência

Faixa etária: livre

 

Visita ao Castelo – “Pavilhão Mourisco”

Visita ao Castelo ou Pavilhão Mourisco para contemplar sua arquitetura e conhecer um pouco da história da instituição e seus pesquisadores.

Data: 26 a 28 de julho

Horários: visitação livre das 9h às 16h e visitas guiadas às 9h I 10h I 11h I 12h I 13h I 14h I 15h (a cada 60 minutos, distribuição de 45 pulseiras na tenda ao lado do Credenciamento)

Local: Castelo

Faixa etária: livre

 

Exposição “Manguinhos: Território em Transe”

“Manguinhos: Território em Transe” foi construída a partir de histórias e vivências contadas por moradores de Manguinhos. Exposição itinerante, percorre escolas públicas, ruas, becos e praças com o objetivo de promover, junto aos visitantes, uma reflexão sobre a construção das favelas no Rio de Janeiro e as lutas cotidianas por garantias de direitos básicos, como saúde e vida, nesses territórios.

Data: 26 a 28 de julho

Horário: 9h às 16h

Local: Credenciamento

Faixa etária: livre

 

Exposição “SaudávelMente”

A exposição “SaudávelMente” é uma iniciativa do Programa de Oncobiologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), do Museu Ciência e Vida (da Fundação Cecierj) e da Fundação do Câncer. Aborda questões relacionadas ao câncer, em especial a prevenção e o diagnóstico precoce. Com ênfase na promoção da saúde, discute-se a relevância de cuidados com o corpo e de hábitos simples, como alimentação saudável, atividades físicas e de lazer, sexo com camisinha e aplicação de filtro solar, que podem evitar doenças.

Data: 26 a 28 de julho

Horário: visitação livre das 9h às 16h

Local: Salão de Exposições Temporárias

Faixa etária: livre

 

Parque da Ciência

Escalar uma célula gigante? Criar luz sem energia elétrica? Entender o funcionamento do olho humano? Tudo isso é possível no Parque da Ciência, cujas instalações estão organizadas em três temas principais: Energia, Comunicação e Organização da Vida.

Data: 26 a 28 de julho

Horário: 9h às 16h

Local: área externa do Parque da Ciência

Faixa etária: livre

 

Mostra fotográfica do Projeto Marias

A mostra tem como objetivo dar visibilidade aos participantes e às ações do “Projeto Marias – Como posso ajudar meu filho especial?”, uma rede de apoio, informação e atividades para familiares de pessoas com deficiência que vivem no Complexo de Manguinhos.

Data: 26 a 29 de julho

Horário: 9h às 16h

Local: Centro de Recepção do Museu da Vida

Faixa etária: livre

Realização: Coletivo Experimentalismo Brabo

 

Programa de Volta para Casa: 15 anos

Instalação fotográfica e videográfica

A instalação Programa de Volta para Casa: 15 anos, concebida como um jogo de espelhos com densidade histórica – imagens de 2007 e 2018 –, convida para reflexão sobre uma política de saúde mental contemporânea. A conquista da casa e da rua dos egressos do sistema psiquiátrico de Barbacena-MG, registrados em suas expressões cotidianas de contratualidade social e autonomia, é reveladora dos muitos sentidos de liberdade que constroem os territórios da cidadania.

Concepção e curadoria: Núcleo de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas da Fiocruz Brasília, Radilson Carlos Gomes e equipe da TV Pinel.

Realização: Fiocruz Brasília/TV Pinel

Data: 26 a 29 de julho

Horário: 10h às 16h30min

Local: Centro de Recepção do Museu da Vida

Faixa etária: livre

 

Exposição Perspectivas do Livro Acadêmico

Qual o lugar do livro na contemporaneidade? Convidamos os visitantes desta exposição a (re)leituras sobre o papel da edição universitária e acadêmica, com destaque para as conquistas e os desafios da Editora Fiocruz em sua trajetória de um quarto de século.

Horário: 8h às 17h

Local: Biblioteca de Manguinhos

 

Dispersão da Abertura – Cortejo Batuca Oswaldo

Criado em maio de 2014, por iniciativa da Asfoc-SN, o Batuca Oswaldo deixou de ser somente uma oficina de percussão e tornou-se uma ferramenta que contribui para a saúde mental e a qualidade de vida de trabalhadores da Fiocruz.

Horários: 11h50 às 13h10

Local: Credenciamento

 

Quarteto de Choro

Criado em 2012, o Quarteto de Choro é formado por Maria Souto (flauta), João Souto (clarinete), Glauber Seixas (violão) e Gabriel Leite (pandeiro). O grupo segue sua trajetória difundindo um repertório autoral de choros produzido no Rio de Janeiro dos dias de hoje.

Horário: 11h50 às 13h10

Local: Centro de Recepção do Museu da Vida

 

Na UTI – esquete desmontes do SUS

Encenado por Leonardo Magno Tonon, este monólogo aborda a situação atual de falta de investimentos e desmonte das políticas de saúde no SUS, buscando promover um debate a partir da visão dos usuários.

Horário: 13h30 às 14h

Local: Tenda Paulo Freire

 

Hip Hop Saúde

Grupo de hip hop que aborda temas de saúde e vida saudável através do rap, experimentando novas linguagens na divulgação de informação em saúde para a juventude.

Horário: 14h40 às 15h

Local: Centro de Recepção do Museu da Vida

 

Slam Laje

O coletivo de literatura Slam Laje atua há um ano promovendo um(a) slam (batalha) de poesia mensal no Complexo do Alemão. Seus produtores, Mc Martina e Alneg, atuam em diversas frentes da luta pelo direito à arte na favela, desenvolvendo projetos em parcerias com organizações do terceiro setor e se articulando em rede com ativistas e coletivos de favela da cidade.

Horário: 14h40 às 15h

Local: Pavilhão Arthur Neiva

 

Cortejo com Baque Mulher

O Baque Mulher é um maracatu original de Recife (PE) que, hoje, está presente em 16 cidades de seis estados brasileiros. Fundado por Mestra Joana Cavalcante, primeira mulher à frente de uma nação de maracatu, o Baque Mulher carioca nasceu em 2016 com a proposta de ter uma bateria formada exclusivamente por mulheres. Hoje já são quase 30 integrantes e esse número só aumenta!

Horário: 16h20 às 16h50

Local: Tenda Paulo Freire

 

Trapiche Gamboa

Situado entre a Pedra do Sal, a Ladeira do Valongo e o Largo da Prainha, o Trapiche Gamboa é um refúgio para a mais autêntica forma de música brasileira: o Samba de Roda.

Programa: Razões Africanas (sambas, jongo, cirandas e maracatu)

Lista amiga: R$ 20,00 com crachá Abrascão

Horário: a partir das 19h30

Local: Rua Sacadura Cabral, 155 – Praça Mauá

 

27 DE JULHO

 

Exposição “Ausência”

Seis anos, mais de 15 visitas ao presídio, seis mulheres, mais de 40 cartas e muita linha e retalhos. A exposição “Ausência”, de autoria da fotógrafa Nana Moraes, retrata a realidade de mulheres presas e suas relações com filhos e familiares, construídas através de fotografias, troca de cartas e tecidos costurados e bordados em forma de colchas, mantas e toalhas. O trabalho faz parte da trilogia “DesAmadas”, onde Nana desvela a vida de mulheres estigmatizadas. O primeiro volume foi lançado em 2007 com o livro “Andorinhas”, que investiga a vida de prostitutas de estrada.

Data: 26 a 29 de julho

Horários: visitação livre das 9h às 16h

Local: Cavalariça

Faixa etária: livre

 

Visita ao Borboletário

O espaço é ornamentado por plantas e habitado por borboletas de diferentes áreas tropicais do continente americano. Quatro espécies poderão ser apreciadas pelos visitantes: olho-de-coruja (Caligo illioneus), ponto-de-laranja (Anteos menippe), borboleta-brancão (Ascia monuste) e Julia (Dryas iulia).

Data: 26 a 28 de julho

Horários: visitas guiadas às 9h I 9h30 I 10h I 10h30 I 11h I 11h30 I 12h I 12h30 I 13h I 13h30 I 14h I 14h30 I 15h I 15h30 (a cada 30 minutos, distribuição de 18 pulseiras na tenda ao lado do Credenciamento)

Local: área externa no entorno da Tenda da Ciência

Faixa etária: livre

 

Visita ao Castelo – “Pavilhão Mourisco”

Visita ao Castelo ou Pavilhão Mourisco para contemplar sua arquitetura e conhecer um pouco da história da instituição e seus pesquisadores.

Data: 26 a 28 de julho

Horários: visitação livre das 9h às 16h e visitas guiadas às 9h I 10h I 11h I 12h I 13h I 14h I 15h (a cada 60 minutos, distribuição de 45 pulseiras na tenda ao lado do Credenciamento)

Local: Castelo

Faixa etária: livre

 

Exposição “Manguinhos: Território em Transe”

“Manguinhos: Território em Transe” foi construída a partir de histórias e vivências contadas por moradores de Manguinhos. Exposição itinerante, percorre escolas públicas, ruas, becos e praças com o objetivo de promover, junto aos visitantes, uma reflexão sobre a construção das favelas no Rio de Janeiro e as lutas cotidianas por garantias de direitos básicos, como saúde e vida, nesses territórios.

Data: 26 a 28 de julho

Horário: 9h às 16h

Local: Credenciamento

Faixa etária: livre

 

Exposição “SaudávelMente”

A exposição “SaudávelMente” é uma iniciativa do Programa de Oncobiologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), do Museu Ciência e Vida (da Fundação Cecierj) e da Fundação do Câncer. Aborda questões relacionadas ao câncer, em especial a prevenção e o diagnóstico precoce. Com ênfase na promoção da saúde, discute-se a relevância de cuidados com o corpo e de hábitos simples, como alimentação saudável, atividades físicas e de lazer, sexo com camisinha e aplicação de filtro solar, que podem evitar doenças.

Data: 26 a 28 de julho

Horário: visitação livre das 9h às 16h

Local: Salão de Exposições Temporárias

Faixa etária: livre

 

Parque da Ciência

Escalar uma célula gigante? Criar luz sem energia elétrica? Entender o funcionamento do olho humano? Tudo isso é possível no Parque da Ciência, cujas instalações estão organizadas em três temas principais: Energia, Comunicação e Organização da Vida.

Data: 26 a 28 de julho

Horário: 9h às 16h

Local: área externa do Parque da Ciência

Faixa etária: livre

 

Mostra fotográfica do Projeto Marias

A mostra tem como objetivo dar visibilidade aos participantes e às ações do “Projeto Marias – Como posso ajudar meu filho especial?”, uma rede de apoio, informação e atividades para familiares de pessoas com deficiência que vivem no Complexo de Manguinhos.

Data: 26 a 29 de julho

Horário: 9h às 16h

Local: Centro de Recepção do Museu da Vida

Faixa etária: livre

Realização: Coletivo Experimentalismo Brabo

 

Programa de Volta para Casa: 15 anos

Instalação fotográfica e videográfica

A instalação Programa de Volta para Casa: 15 anos, concebida como um jogo de espelhos com densidade histórica – imagens de 2007 e 2018 –, convida para reflexão sobre uma política de saúde mental contemporânea. A conquista da casa e da rua dos egressos do sistema psiquiátrico de Barbacena-MG, registrados em suas expressões cotidianas de contratualidade social e autonomia, é reveladora dos muitos sentidos de liberdade que constroem os territórios da cidadania.

Concepção e curadoria: Núcleo de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas da Fiocruz Brasília, Radilson Carlos Gomes e equipe da TV Pinel.

Realização: Fiocruz Brasília/TV Pinel

Data: 26 a 29 de julho

Horário: 10h às 16h30min

Local: Centro de Recepção do Museu da Vida

Faixa etária: livre

 

Exposição Perspectivas do Livro Acadêmico

Qual o lugar do livro na contemporaneidade? Convidamos os visitantes desta exposição a (re)leituras sobre o papel da edição universitária e acadêmica, com destaque para as conquistas e os desafios da Editora Fiocruz em sua trajetória de um quarto de século.

Horário: 8h às 17h

Local: Biblioteca de Manguinhos

 

Trio Café Brasil

O Trio Café Brasil, composto por Paulinho Bandolim (bandolim), Leo Fernandes (violão de 7 cordas) e Diogo Barreto (pandeiro), atua na preservação e difusão daquele que é considerado o primeiro gênero musical urbano do Brasil, o choro, além de usar a linguagem da música instrumental para a releitura de clássicos da música popular brasileira em geral.

Horário: 9h50 às 10h20

Local: Centro de Recepção do Museu da Vida

 

Karamandunga – Intervenção da Palavra

Entre contos, poesia e música, a proposta é ‘suspender’ o tempo para comungar através do imaginário. Os contos e os poemas selecionados remetem a um movimento de afirmação, cooperação, esforço contínuo, reconhecimento das dificuldades e da importância dos sonhos como combustível para seguir em frente, apesar dos tempos sombrios.

Horário: 9h50 às 10h20

Local: Pavilhão Arthur Neiva

 

Oficina Danças Urbanas Professor Renato Cruz – Redes da Maré

Jovens alunos da turma de Danças Urbanas, com o professor e coreógrafo Renato Cruz, farão uma apresentação de flash mob com a música Perm, de Bruno Mars. A Escola Livre de Dança da Maré é um projeto existente desde 2011.

Horário: 11h50 às 13h10

Local: Asfoc-SN

 

Música na Calçada

O grupo Música na Calçada é resultado das oficinas de educação musical realizadas com jovens na favela de Manguinhos desde 2004 pela RedeCCAP (Rede de Empreendimentos Sociais para o Desenvolvimento Socialmente Justo, Democrático, Integrado e Sustentável). A metodologia aplicada se refere à valorização do lugar de protagonismo, em contraponto a um território de vulnerabilidades, explorando caminhos da crítica social.

Horário: 11h50 às 13h10

Local: Centro de Recepção do Museu da Vida

 

Tambores de Hadasha

A arte de confeccionar instrumentos musicais com materiais reciclados será realizada junto com o mestre Hadasha, músico e artesão do território de Manguinhos. Na oficina, serão abordadas importantes perspectivas da cultura afrodescendente no Brasil, a partir da ancestralidade, do simbolismo e da musicalidade existentes em instrumentos de percussão.

Horário: 11h50 às 13h10

Local: Credenciamento

 

Grupo de Mulheres Yepondá

O Grupo de Mulheres Yepondá surgiu em 2007 com o objetivo de trabalhar questões de violação de direitos contra a mulher. Suas integrantes praticam a dança como forma de libertação do corpo e da alma. Um de seus projetos – Carolina de Jesus, leitura em todo lugar – oferece oficinas de turbante, confecção de boneca Abayomi e contação de histórias. Yepondá, mulher guerreira, rainha da cidade de Pondá, é uma das principais referências a Oxum.

Horário: 13h30 às 14h

Local: Tenda Paulo Freire

 

Escola de Música de Manguinhos

A Escola de Música de Manguinhos (EMM) existe desde 2008 e é uma iniciativa da RedeCCAP (Rede de Empreendimentos Sociais para o Desenvolvimento Socialmente Justo, Democrático, Integrado e Sustentável), juntamente com a Escola de Música da UFRJ e a Fiocruz. As apresentações da Escola são repletas da força e do protagonismo infanto-juvenil.

Horário: 14h40 às 15h

Local: Centro de Recepção do Museu da Vida

 

Grupo Constelação Asfoc – Dança de salão

Entretenimento, integração social e atividade física são alguns dos benefícios da dança de salão. Ao implantar este projeto na Asfoc-SN, busca-se uma qualidade de vida no trabalho cada vez melhor.

Horário: 14h40 às 15h

Local: Pátio da Escola Nacional de Saúde Pública

 

Cortejo com a Trupe do Circo Escola Benjamin de Oliveira

A Trupe do Circo Escola Benjamin de Oliveira (Centro de Desenvolvimento Se Essa Rua Fosse Minha) é uma ONG criada pelo sociólogo Betinho na década de 1990 com o objetivo de atender, por meio do circo social, meninos e meninas em situação de rua. Hoje, o grupo atende, em média, 100 jovens no município de São João de Meriti, na Baixada Fluminense, abordando, em suas ações, questões de gênero, igualdade racial e respeito à diversidade.

Horário: 16h20 às 16h50

Local: Tenda Paulo Freire

 

Trapiche Gamboa

Situado entre a Pedra do Sal, a Ladeira do Valongo e o Largo da Prainha, o Trapiche Gamboa é um refúgio para a mais autêntica forma de música brasileira: o Samba de Roda.

Programa: Batuqueiros e sua gente (samba)

Lista amiga: R$ 20,00 com crachá Abrascão

Horário: a partir das 21h

Local: Rua Sacadura Cabral, 155 – Praça Mauá

 

28 DE JULHO

 

Exposição “Ausência”

Seis anos, mais de 15 visitas ao presídio, seis mulheres, mais de 40 cartas e muita linha e retalhos. A exposição “Ausência”, de autoria da fotógrafa Nana Moraes, retrata a realidade de mulheres presas e suas relações com filhos e familiares, construídas através de fotografias, troca de cartas e tecidos costurados e bordados em forma de colchas, mantas e toalhas. O trabalho faz parte da trilogia “DesAmadas”, onde Nana desvela a vida de mulheres estigmatizadas. O primeiro volume foi lançado em 2007 com o livro “Andorinhas”, que investiga a vida de prostitutas de estrada.

Data: 26 a 29 de julho

Horários: visitação livre das 9h às 16h

Local: Cavalariça

Faixa etária: livre

 

Visita ao Borboletário

O espaço é ornamentado por plantas e habitado por borboletas de diferentes áreas tropicais do continente americano. Quatro espécies poderão ser apreciadas pelos visitantes: olho-de-coruja (Caligo illioneus), ponto-de-laranja (Anteos menippe), borboleta-brancão (Ascia monuste) e Julia (Dryas iulia).

Data: 26 a 28 de julho

Horários: visitas guiadas às 9h I 9h30 I 10h I 10h30 I 11h I 11h30 I 12h I 12h30 I 13h I 13h30 I 14h I 14h30 I 15h I 15h30 (a cada 30 minutos, distribuição de 18 pulseiras na tenda ao lado do Credenciamento)

Local: área externa no entorno da Tenda da Ciência

Faixa etária: livre

 

Visita ao Castelo – “Pavilhão Mourisco”

Visita ao Castelo ou Pavilhão Mourisco para contemplar sua arquitetura e conhecer um pouco da história da instituição e seus pesquisadores.

Data: 26 a 28 de julho

Horários: visitação livre das 9h às 16h e visitas guiadas às 9h I 10h I 11h I 12h I 13h I 14h I 15h (a cada 60 minutos, distribuição de 45 pulseiras na tenda ao lado do Credenciamento)

Local: Castelo

Faixa etária: livre

 

Exposição “Manguinhos: Território em Transe”

“Manguinhos: Território em Transe” foi construída a partir de histórias e vivências contadas por moradores de Manguinhos. Exposição itinerante, percorre escolas públicas, ruas, becos e praças com o objetivo de promover, junto aos visitantes, uma reflexão sobre a construção das favelas no Rio de Janeiro e as lutas cotidianas por garantias de direitos básicos, como a saúde e a vida, nesses territórios.

Data: 26 a 28 de julho

Horário: 9h às 16h

Local: Credenciamento

Faixa etária: livre

 

Exposição “SaudávelMente”

A exposição “SaudávelMente” é uma iniciativa do Programa de Oncobiologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), do Museu Ciência e Vida (da Fundação Cecierj) e da Fundação do Câncer. Aborda questões relacionadas ao câncer, em especial a prevenção e o diagnóstico precoce. Com ênfase na promoção da saúde, discute-se a relevância de cuidados com o corpo e de hábitos simples, como alimentação saudável, atividades físicas e de lazer, sexo com camisinha e aplicação de filtro solar, que podem evitar doenças.

Data: 26 a 28 de julho

Horário: visitação livre das 9h às 16h

Local: Salão de Exposições Temporárias

Faixa etária: livre

 

Parque da Ciência

Escalar uma célula gigante? Criar luz sem energia elétrica? Entender o funcionamento do olho humano? Tudo isso é possível no Parque da Ciência, cujas instalações estão organizadas em três temas principais: Energia, Comunicação e Organização da Vida.

Data: 26 a 28 de julho

Horário: 9h às 16h

Local: área externa do Parque da Ciência

Faixa etária: livre

 

Mostra fotográfica do Projeto Marias

A mostra tem como objetivo dar visibilidade aos participantes e às ações do “Projeto Marias – Como posso ajudar meu filho especial?”, uma rede de apoio, informação e atividades para familiares de pessoas com deficiência que vivem no Complexo de Manguinhos.

Data: 26 a 29 de julho

Horário: 9h às 16h

Local: Centro de Recepção do Museu da Vida

Faixa etária: livre

Realização: Coletivo Experimentalismo Brabo

 

Programa de Volta para Casa: 15 anos

Instalação fotográfica e videográfica

A instalação Programa de Volta para Casa: 15 anos, concebida como um jogo de espelhos com densidade histórica – imagens de 2007 e 2018 –, convida para reflexão sobre uma política de saúde mental contemporânea. A conquista da casa e da rua dos egressos do sistema psiquiátrico de Barbacena-MG, registrados em suas expressões cotidianas de contratualidade social e autonomia, é reveladora dos muitos sentidos de liberdade que constroem os territórios da cidadania.

Concepção e curadoria: Núcleo de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas da Fiocruz Brasília, Radilson Carlos Gomes e equipe da TV Pinel.

Realização: Fiocruz Brasília/TV Pinel

Data: 26 a 29 de julho

Horário: 10h às 16h30

Local: Centro de Recepção do Museu da Vida

Faixa etária: livre

 

Exposição Perspectivas do Livro Acadêmico

Qual o lugar do livro na contemporaneidade? Convidamos os visitantes desta exposição a (re)leituras sobre o papel da edição universitária e acadêmica, com destaque para as conquistas e os desafios da Editora Fiocruz em sua trajetória de um quarto de século.

Horário: 8h às 17h

Local: Biblioteca de Manguinhos

 

Karamandunga – Intervenção da Palavra

Entre contos, poesia e música, a proposta é ‘suspender’ o tempo para comungar através do imaginário. Os contos e os poemas selecionados remetem a um movimento de afirmação, cooperação, esforço contínuo, reconhecimento das dificuldades e da importância dos sonhos como combustível para seguir em frente, apesar dos tempos sombrios.

Horário: 9h50 às 10h20

Local: Centro de Recepção do Museu da Vida

 

Grupo Constelação Asfoc – Dança de salão

Entretenimento, integração social e atividade física são alguns dos benefícios da dança de salão. Ao implantar este projeto na Asfoc-SN, busca-se uma qualidade de vida no trabalho cada vez melhor.

Horário: 9h50 às 10h20

Local: Pátio da Escola Nacional de Saúde Pública

 

Cia. Banto Grupo de Jongo

A Cia. Banto é um grupo de pesquisa das diversas manifestações populares, como o jongo, o samba de roda e a capoeira, entre outras, investigando as áreas musical, coreográfica e poética. Por meio de shows, workshops, palestras e exposições, a Cia Banto tem se esforçado no sentido de colaborar para a preservação e a promoção desses saberes, e convida a todos para que façam parte dessa difícil e agradável missão.

Horário: 11h50 às 13h10

Local: Pavilhão Arthur Neiva

 

Coral Flor do Mangue

O Coral Flor do Mangue surgiu de uma iniciativa do professor e músico Guilherme Hadasha, com atividades musicais para estimular a promoção da cidadania, da educação e da saúde. Atualmente, é composto por moradores que residem no território de Manguinhos e adjacências e realiza acompanhamento psicológico com o apoio da Clínica da Família Victor Valla e do Centro de Atenção Psicossocial.

Horário: 11h50 às 13h10

Local: Centro de Recepção do Museu da Vida

 

Tambores de Hadasha

A arte de confeccionar instrumentos musicais com materiais reciclados será realizada junto com o mestre Hadasha, músico e artesão do território de Manguinhos. Na oficina, serão abordadas importantes perspectivas da cultura afrodescendente no Brasil, a partir da ancestralidade, do simbolismo e da musicalidade existentes em instrumentos de percussão.

Horário: 11h50 às 13h10

Local: Credenciamento

 

Grupo Constelação Asfoc – Dança de salão

Entretenimento, integração social e atividade física são alguns dos benefícios da dança de salão. Ao implantar este projeto na Asfoc-SN, busca-se uma qualidade de vida no trabalho cada vez melhor.

Horário: 11h50 às 13h10

Local: Pátio da ASFOC

 

O impacto da violência na nossa saúde

A esquete retrata o cotidiano de uma pessoa que vive na favela em contexto de violência armada, colocando em discussão os vários impactos da violência em sua saúde.

Horário: 12h às 12h30

Local: Tenda Paulo Freire

 

Dona Baratinha (adaptação Ejinha)

A esquete reflete sobre Dona Baratinha, que, como tantas outras mulheres, tem outras expectativas de vida para além do casamento: sonhos, realizações, estudos, lazer etc.

Horário: 13h30 às 14h

Local: Tenda Paulo Freire

 

Coletivo Chica Manicongo

Esquete aborda as experiências de pessoas LGBTs em situação de vulnerabilidade.

Horário: 13h30 às 14h

Local: Tenda Paulo Freire

 

Manuh Mello duo

A compositora iniciou sua experimentação artística aos 15 anos de idade. Na Escola de Música Villa Lobos, ampliou e amplificou sua vivência e percepção sonora, aperfeiçoando-se nos estudos de violão. Sua musicalidade tem influências de rock and roll, pop, rap e MPB, entre outros gêneros urbanos, e suas letras versam sobre temas desde política até reflexões sobre espiritualidade, com uma pegada crítica e atual. Manuh Mello também é artista visual e participa da cena independente carioca.

Horário: 14h10 às 14h30

Local: Centro de Recepção do Museu da Vida

 

Dj Gilibeats – Nenhum serviço a menos

Pernambucano, médico de família da Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro (SMS-RJ) e integrante do coletivo Nenhum Serviço de Saúde a Menos.

Horário: 14h10 às 14h30

Local: Pátio da Escola Nacional de Saúde Pública

 

Parada LGBT+ com performance de drags

Performance de drags com músicas que falam do direito básico à cidadania.

Horário: 16h20 às 16h50

Local: Tenda Paulo Freire

 

Bloco D’águas

Surgido em 2015 por iniciativa dos ambientalistas e músicos Rafael Carvalho e Téo Cordeiro, o Bloco D’águas nasce em um ambiente de grandes histórias musicais, a Leopoldina de Pixinguinha, Joel Nascimento, Paulo Moura e tantos outros; e mergulha no repertório brasileiro das músicas que abordam esse elemento tão precioso para a vida humana, a água.

Horário: 16h às 16h20

Local: Pavilhão Arthur Neiva

 

Trapiche Gamboa

Situado entre a Pedra do Sal, a Ladeira do Valongo e o Largo da Prainha, o Trapiche Gamboa é um refúgio para a mais autêntica forma de música brasileira: o Samba de Roda.

Programa: Sete Cantos (roda de samba)

Lista amiga: R$ 20,00 com crachá Abrascão

Horário: a partir das 22h

Local: Rua Sacadura Cabral, 155 – Praça Mauá

 

29 DE JULHO

 

Exposição “Ausência”

Seis anos, mais de 15 visitas ao presídio, seis mulheres, mais de 40 cartas e muita linha e retalhos. A exposição “Ausência”, de autoria da fotógrafa Nana Moraes, retrata a realidade de mulheres presas e suas relações com filhos e familiares, construídas através de fotografias, troca de cartas e tecidos costurados e bordados em forma de colchas, mantas e toalhas. O trabalho faz parte da trilogia “DesAmadas”, onde Nana desvela a vida de mulheres estigmatizadas. O primeiro volume foi lançado em 2007 com o livro “Andorinhas”, que investiga a vida de prostitutas de estrada.

Data: 26 a 29 de julho

Horários: visitação livre das 9h às 16h

Local: Cavalariça

Faixa etária: livre

 

Mostra fotográfica do Projeto Marias

A mostra tem como objetivo dar visibilidade aos participantes e às ações do “Projeto Marias – Como posso ajudar meu filho especial?”, uma rede de apoio, informação e atividades para familiares de pessoas com deficiência que vivem no Complexo de Manguinhos.

Data: 26 a 29 de julho

Horário: 9h às 16h

Local: Centro de Recepção do Museu da Vida

Faixa etária: livre

Realização: Coletivo Experimentalismo Brabo

 

Programa de Volta para Casa: 15 anos

Instalação fotográfica e videográfica

A instalação Programa de Volta para Casa: 15 anos, concebida como um jogo de espelhos com densidade histórica – imagens de 2007 e 2018 –, convida para reflexão sobre uma política de saúde mental contemporânea. A conquista da casa e da rua dos egressos do sistema psiquiátrico de Barbacena-MG, registrados em suas expressões cotidianas de contratualidade social e autonomia, é reveladora dos muitos sentidos de liberdade que constroem os territórios da cidadania.

Concepção e curadoria: Núcleo de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas da Fiocruz Brasília, Radilson Carlos Gomes e equipe da TV Pinel.

Realização: Fiocruz Brasília/TV Pinel

Data: 26 a 29 de julho

Horário: 10h às 16h30

Local: Centro de Recepção do Museu da Vida

Faixa etária: livre

 

Exposição Perspectivas do Livro Acadêmico

Qual o lugar do livro na contemporaneidade? Convidamos os visitantes desta exposição a (re)leituras sobre o papel da edição universitária e acadêmica, com destaque para as conquistas e os desafios da Editora Fiocruz em sua trajetória de um quarto de século.

Horário: 8h às 17h

Local: Biblioteca de Manguinhos

 

Dj Gilibeats – Nenhum serviço a menos

Pernambucano, médico de família da Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro (SMS-RJ) e integrante do coletivo Nenhum Serviço de Saúde a Menos.

Horário: 9h50 às 10h20

Local: Centro de Recepção do Museu da Vida

 

Coletivo de Poesia Balalaica

Balalaica é um coletivo de poesia. Cria performances, brinquedos e saraus como o Despacho Poético, o Piquenique Antropofágico, os Jogos Poéticos, o Tecnopoema e o Sarará. Edita e publica livretos poéticos ao modo dos zines da poesia marginal, bebe nas fontes do modernismo antropofágico, dialoga com os grandes poetas e com os pequenos também. Sem preconceitos.

Horário: 9h50 às 10h20

Local: Pátio da Escola Nacional de Saúde Pública

 

Lugar de cabeça lugar de corpo

O experimento cênico “Lugar de cabeça lugar de corpo” é uma iniciativa do Espaço Travessia/Núcleo de Cultura, Ciência e Saúde/Instituto Municipal Nise da Silveira. O projeto aborda, através dos princípios do teatro-documentário, a história recente da psiquiatria brasileira. A dramaturgia é feita a partir de escritos, entrevistas e relatos de Artur Bispo do Rosário, Estamira Gomes de Souza, Lima Barreto, Maura Lopes Cançado, Nise da Silveira, Stela do Patrocínio, entre outros.

Horário: 13h às 14h30

Local: Tenda Paulo Freire

 

Deu a louca na encantaria

O espetáculo é uma respeitosa homenagem aos festejos juninos do estado do Pará – em específico, a ópera cabocla mesclada com uma releitura de algumas lendas amazônicas. Dois pajés narram uma versão divertida sobre a lenda do Boto, ao som de muito carimbó e toadas de Boi Bumbá.

Horário: 13h às 14h30

Local: Tenda Paulo Freire

 

Cortejo Projeto Danças Culminantes

O projeto Danças Culminantes é uma iniciativa que surge com o objetivo de perpetuar danças populares utilizando pernas de pau. O projeto ocorre por meio de módulos de um ou dois meses para pessoas que já andam em pernas de pau, finalizando em apresentações públicas. Em sua quinta edição, homenageia o carimbó.

Horário: 14h30 às 15h

Local: Tenda Paulo Freire

Comments

comments

Deixe uma resposta