Pesquisador norte-americano falará sobre o racismo como determinante social em saúde no Abrascão 2018

Este slideshow necessita de JavaScript.

A forma como a distinção de raça opera um sistema de diferenciação dentro dos serviços de saúde é um traço que se encontra em diversos países, seja em sistemas universais públicos ou prestação da assistência privada. No entanto, nuances e diferenças, trajetórias históricas e políticas vão influir diretamente na expressão desse problema social. Referência no tema, o pesquisador norte-americano Sherman A. James travará essa discussão em duas sessões científicas do 12º Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva – Abrascão 2018, que acontecerá de 24 a 29 de julho, no Rio de Janeiro (RJ). Ainda é possível garantir sua presença. Acesse o site do evento e inscreva-se.

Infelizmente, por motivos de saúde, o professor Sherman A. James não estará presente no Abrascão 2018 – atualizado em 18/07

Na sexta-feira, 27/07, James fará a palestra “Racism: a Fundamental Social Cause of Health Inequities”, e no domingo, 29/07, participará da mesa-redonda “Racismo e Saúde Pública”, dialogando com Edna Maria de Araújo, professora da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), e Dora Chor, pesquisadora da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz). As atividades acontecerão na área das Grandes Tendas e começarão às 10h20. Em ambas haverá tradução simultânea.

Sherman A. James é professor emérito da Sanford School of Public Policy, na Duke University. Ele também ocupa as cátedras de Sociologia, Medicina Comunitária e Familiar e Estudos Africanos e Afro-Americanos na mesma universidade. Antes, compôs os departamentos de Epidemiologia da Universidade da Carolina do Norte-Chapel Hill (1973-89) e da Universidade de Michigan (1989-2003). Em Michigan, ele fundou e dirigiu o Centro de Pesquisa sobre Etnia, Cultura e Saúde (CRECH), entre outras atribuições institucionais.

“A pesquisa de James enfoca os determinantes sociais das disparidades raciais e étnicas na saúde e nos cuidados de saúde. Ele é o criador da hipótese de John Henryism, que postula que o esforço repetitivo de alto esforço com estressores sociais e econômicos é um dos principais contribuintes para as disparidades raciais e socioeconômicas na hipertensão e doenças cardiovasculares relacionadas”, destaca Edna Maria de Araújo, pesquisadora da UEFS e integrante da coordenação do GT Racismo e Saúde, da Associação (GT Racismo/Abrasco).

Essa qualidade e reconhecimento acadêmicos podem ser percebidos pelas inúmeras condecorações e afiliações institucionais construídas ao longo de sua carreira. Em 2001, Sherman A. James recebeu o Prêmio Abraham Lilienfeld da seção de Epidemiologia da Associação Americana de Saúde Pública, pela excelência profissional no ensino da disciplina. Em 2008, foi premiado com o Health Policy Investigator Award, concedido pela Robert Wood Johnson Foundation e, em 2016, o Wade Hampton Frost Award, também da Seção de Epidemiologia da American Public Health Association. Ele presidiu ainda a Society for Epidemiologic Research (SER) e é membro da Academia Nacional de Medicina dos EUA, da American Epidemiological Society, do American College of Epidemiology, da American Heart Association e da Academy of Behavioral Medicine Research. Em 2016, foi introduzido na Academia Americana de Ciências Políticas e Sociais, na cadeira em homenagem à Mahatma Gandhi.

Além das atividades com o pesquisador convidado, a programação do GT Racismo no Abrascão contará com sessões de comunicação orais batizadas com nomes de grandes referências femininas da história racial brasileira, como Luiza Bairros, Mãe Beata de Iemanjá e Fátima de Oliveira, além da mesa-redonda “A construção social da diferença: violência e racismo nas práticas de cuidado e os desafios para a integralidade”. O GT também discutirá o planejamento estratégico para a atuação da Abrasco na temática em reunião exclusiva durante o pré-congresso.

Confira abaixo a programação científica do eixo Racismo e Saúde no Abrascão 2018:

27/07 – SEX – d2 – 10h20 – 11h50
Racismo como Determinante Social em Saúde
Coordenadora: Késia Marisla Rodrigues da Paz (UFMT)
Palestrante: Sherman A. James – Duke University – Sanford School of Public Policy (EUA)
Local: Grandes Tendas – Auditório Cecilia Donangello – Haverá tradução simultânea

29/07 – DOM – d4 – 10h20 – 11h50

Racismo e Saúde Pública
Coordenadora: Denise de Almeida Ribeiro – Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (BA)
Expositor: Sherman A. James – Duke University – Sanford School of Public Policy (United States)
Expositora: Edna Maria de Araujo – Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS)
Expositora: Dóra Chor – Fiocruz (RJ)
Local: Grandes Tendas – Auditório Marielle Franco – Haverá tradução simultânea

29/07 – DOM – d4 – 13h10 – 14h40

A construção social da diferença: violência e racismo nas práticas de cuidado e os desafios para a integralidade
Coordenadora: Tatiana Engel Gerhardt – UFRGS
Expositora: Elaine Oliveira Soares – Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre
Expositor: Luís Eduardo Batista – Instituto de Saúde de São Paulo
Expositor: Marcos Antônio Ferreira do Nascimento – IFF/Fiocruz
Local: EPSJV – Auditório

Comments

comments

Deixe uma resposta