Mapa do Abrascão 2018: entenda a sinalização e o código das salas

O campus da Fiocruz Manguinhos é muito amplo. Para que os participantes do Abrascão não se percam entre os jardins e arvoredos, na tentativa de encontrarem as salas em que devem apresentar suas Comunicações Coordenadas, ou as mesas e palestras que querem assistir, um mapa será distribuído no momento do credenciamento – o único material impresso do congressista.

Como se guiar através da sinalização desenhada especialmente para o evento?

O campus foi dividido em setores (A,B,C,D,E e F) – e cada setor engloba, por si só, um aglomerado de prédios e/ou tendas. Para entender as salas, é preciso entender a lógica da sistematização dos prédios e setores na programação. Por exemplo a Mesa Redonda “Gênero, Sexualidade e Saúde: religião, ciência e cidadania em disputa”, assim exposta na programação do site/aplicativo: 

10:20 11:50 Mesa Redonda
MR97 – Gênero, Sexualidade e Saúde: religião, ciência e cidadania em disputa
Coordenador: Horacio Federico Sivori – IMS/UERJ (RJ)
Expositora: Maria das Dores Campos Machado – UFRJ (RJ)
Expositor: Mario Pecheny – Universidad de Buenos Aires / CONICET (Argentina)
Expositor: Sergio Carrara – Instituto de Medicina Social/UERJ (RJ)

INI(IPEC)- Auditório – B17 (55 pax)

INI (IPEC): é o nome do prédio
Auditório: é a sala dentro do prédio
B17: B é o setor. No mapa, corresponde à cor azul. O número 17 é instrumento de legenda no mapa, para que, no universo dos prédios do setor B, você entenda qual é o prédio do INI (IPEC) – neste caso, o INI (IPEC) corresponde ao número 17 no setor B.
55 pax: número de participantes que a sala comporta.

Agora, esmiuçando o mapa:

Setor A: no mapa, sinalizado com a cor laranja. São as Grandes Tendas, onde acontecerão os principais debates, o credenciamento e espaço de convivência. A partir das 16h todas as atividades estão concentradas neste setor, que é também de onde partirão os ônibus ao fim do dia – para a UERJ.

Setor B: no mapa, sinalizado com a cor azul marinho. Ele engloba três prédios, enumerados para facilitar a identificação: o Pavilhão Rocha Lima – 15; INI (IPEC) – 17 e Pavilhão Leônidas Deane – 26

Setor C: no mapa, sinalizado com a cor roxa. São dois polos, também enumerados para facilitar a identificação: INCQS -40;  COGIC (DIRAC) e COGIC (DIRAC)/ Serviço de Segurança – 42

Setor D: no mapa, sinalizado com a cor azul clara. São dois prédios: ESPJV (Escola Politécnica) – 50 e ENSP – 75

Setor E: no mapa, sinalizado com a cor vermelha. Engloba o Museu da Vida – 36; Tenda da Ciência e Epidauro – 55;  Centro de Recepção de Visitantes – 13;  CDHS – 36 e ICICT – 34

Setor F: no mapa, sinalizado com a cor verde. São dois pontos de referência: NUST e ASFOC – 11 e Pavilhão Arthur Neiva – 12

Também estão sinalizados os pontos de alimentação – espalhados pelo campus , os pontos dos ônibus circulares e suas rotas – estes preferenciais para pessoas com dificuldade de locomoção –  e os pontos destinados ao embarque e desembarque dos táxis e carros de aplicativo. Ao solicitar os táxis e os carros de aplicativo a pessoa deve estar obrigatoriamente nos dois pontos demarcados: no setor E, endereçar como Centro de Recepção Museu da Vida e, no setor D, localizar como Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP).

A sinalização do campus será toda colorida – para que a pessoa entenda em qual setor está – e monitores voluntários estarão espalhados para ajudar na localização. Entretanto, como são muitos pontos de atividade, é necessário estar sempre com o seu mapa (este será entregue no credenciamento) e a programação aberta no aplicativo, que pode ser baixada para uso offline (não terá programação impressa!).

Para baixar o mapa, clique aqui. 

Comments

comments

Deixe uma resposta