Rio Grande do Norte no 3º Congresso de Política e o uso da tecnologia na Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde

Na tarde da quinta-feira, dia 4 de maio, os participantes do 3º Congresso de Política, Planejamento e Gestão em Saúde poderão entender melhor como o uso das tecnologias de Informação e Comunicação – TICS, pode transformar a gestão do trabalho e da educação na saúde. Participando da Mesa Redonda “Uso das TICS na Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde” estarão Ricardo Valentim (LAIS/SEDIS-UFRN), Karilany Dantas Coutinho (SEDIS/UFRN) e Olavo Viana Costa (DIEESE/SP), sob a coordenação de Carlos Alberto de Oliveira (UERJ).

Doutor em Engenharia Elétrica, Ricardo Valentim é coordenador do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS-HUOL-UFRN), cujo sucesso em pesquisas com impacto na saúde pública motivaram, no ano passado, um convite para ministrar a palestra “Como a tecnologia pode transformar os serviços de saúde no Brasil: o case do LAIS” no Brazil Conference 2016, evento criado pela Harvard University e o Massachusetts Institute of Technology (MIT), com objetivo de debater o Brasil. Ele costuma dizer que o melhor combustível para a inovação é a inquietude e a insatisfação – “pois ostras felizes não produzem pérolas!”, comenta Ricardo.

O Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde está situado no Hospital Universitário Onofre Lopes e é de natureza interdisciplinar, servindo como alicerce para a combinação entre os saberes da Saúde, das Engenharias e das Tecnologias de Informação e Comunicação. “O LAIS por ser hoje um importante laboratório de pesquisas no Brasil é também um dos principais captadores de recursos para esse fim, portanto hoje o laboratório contribui e muito para que a UFRN minimize seus gastos, por exemplo, custeia bolsas para alunos de graduação, mestrado e doutorado, bem como, os custos essenciais que envolve os projetos de pesquisa destes alunos. Deste modo, todo processo de formação destes alunos são aprimorados, uma vez que estes são imersos em um campo de pesquisa aplicada que exige dos mesmos e dos pesquisadores um esforço para que possam articular seus conhecimentos teóricos ao campo da prática. Neste contexto, sempre surgem propostas de parcerias com o setor privado ou público. Todavia, o principal motor do Laboratório é o desenvolvimento de pesquisa para o Sistema Único de Saúde – SUS”, pontua Ricardo.

No 3º Congresso de Política, Planejamento e Gestão em Saúde da Abrasco, Ricardo pretende abordar o uso da tecnologia no campo do trabalho e educação, e como melhorar a questão da relação do dimensionamento e da gestão do trabalho por meio da tecnologia – “Vou tentar responder a questão de como utilizar a tecnologia para mediar o processo de formação dos trabalhadores e estudantes do sistema de saúde”, resume. Sobre os desafios da Saúde no Brasil atual, Ricardo salienta que o maior deles é a ampliação e a garantia de que todo cidadão brasileiro tenha acesso aos serviços de saúde de forma democrática, porém vinculando isso ao custo e a eficiência – “Ou seja, alinhar o acesso democrático aos serviços de saúde à eficiência do gasto, esse é o maior desafio porque a gente tem uma população muito grande e a demanda sobre o sistema único de saúde é muito ampla também”, pondera Ricardo que é ainda coordenador de Tecnologia da Informação e Comunicação na Secretaria de Educação a Distância da UFRN e consultor do Departamento de Ciência e Tecnologia da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde.

Mês passado, Ricardo Valentim participou de uma reunião com o secretário de Saúde de Natal, Luiz Roberto Fonseca, para tratar sobre inovações tecnológicas voltadas para transformar o âmbito da Saúde municipal. Um dos objetivos do secretário é aproximar os projetos de inovação desenvolvidos no Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde às tecnologias utilizadas pela Secretaria Municipal na capital do Rio Grande do Norte.

Comments

comments

Deixe uma resposta