A cultura potiguar no 3º Congresso de Política, Planejamento e Gestão em Saúde

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Potiguar era o nome de uma grande tribo indígena que habitava a região litorânea onde hoje estão os estados do Rio Grande do Norte e da Paraíba. Em tupi quer dizer “comedor de camarão” (potï, “camarão” e war, “comedor”). A cultura e o folclore potiguar são consequências de tradições portuguesas, nativas e africanas: com destaque para os tradicionais grupos de dança que recontam histórias registradas pela memória do povo ao longo dos anos. O mais conhecido deles é o Bumba-meu-boi. Além das danças folclóricas, também divulgam a cultura popular do Rio Grande do Norte centenas de cordelistas, cantadores de viola, sanfoneiros, repentistas e emboladores.

Um pouco desta expressividade norte-rio-grandense, será apresentada durante a programação cultural do 3º Congresso Brasileiro de Política, Planejamento e Gestão em Saúde, que terá Natal como ‘palco’, e receberá quase dois mil ‘expectadores’ na semana de 1 a 4 de maio. O ponto alto da programação cultural contará a história do Boi Calemba, reza a lenda que, há muito tempo, numa fazenda de gado, Pai Francisco mata um boi de estimação de seu senhor para satisfazer o desejo de sua esposa grávida, Mãe Catirina, que quer comer língua. Quando descobre o sumiço do animal, o senhor fica furioso e, após investigar entre seus escravos e índios, descobre o autor do crime e obriga Pai Francisco a trazer o boi de volta. Pajés e curandeiros são convocados para salvar o escravo e, quando o boi ressuscita urrando, todos participam de uma enorme festa para comemorar o milagre. A apresentação do Boi Calemba será no dia 2, no saguão do Centro de Convenções.

Da Universidade Federal do Rio Grande do Norte virão 4 grupos culturais: o Quarteto de Saxofones; o Grupo de Dança; o Grupo Vocal Acorde e ainda o Café Quarteto. Música engajada com voluntariado será levada pelo Dó – Ré – Médio, o grupo composto por quatro músicos leva música aos hospitais e demais unidades assistenciais de Natal, levantando o astral de pacientes, funcionários e acompanhantes. Todos os integrantes são voluntários e acreditam no poder e influência da música, como forma de auxiliar na recuperação dos doentes. “A música tem benefícios comprovados na recuperação de pacientes que, mais calmos e felizes, respondem melhor ao tratamento”, explica o coordenador do grupo, Luiz Carlos.

De São Gonçalo do Amarante virá o Grupo Folclórico Pastoril Dona Joaquina – “Dono da casa o senhor me dê licença para o pastoril brincar…” pensando nisso Pastoril Dona Joaquina convida quem quer brincar e acompanhar de pertinho tudo o que acontece dentro da magia do folclore potiguar. Confira os dias e horários de toda a programação cultural:

DIA 02/05 03/05 04/05
8h30m – 10h00m SAGUÃO DO CENTRO DE CONVENÇÕES

PERNA DE PAU 

 

 

INTERVALO PARA ALMOÇO

 

12h30m – 14h00m

PALCO MULTICULTURAL – PRAÇA DE ALIMENTAÇÃO

JOÃO MENDONÇA (NATAL)

PALCO MULTICULTURAL – PRAÇA DE ALIMENTAÇÃO

QUARTETO DE SAXOFONES (EMUFRN)

PALCO MULTICULTURAL –

PRAÇA DE ALIMENTAÇÃO

DO RÉ MÉDIO (NATAL)

SAGUÃO DO CENTRO DE CONVENÇÕES

BOI CALEMBA 

SAGUÃO DO CENTRO DE CONVENÇÕES

CIRANDA 

SAGUÃO DO CENTRO DE CONVENÇÕES

PASTORIL DA DONA JOAQUINA 

GRUPO DE DANÇA DA UFRN

Final de tarde

17h00 – 18h00m

ABERTURA COM O GRUPO VOCAL ACORDE DA UFRN Café quarteto (quarteto de cordas da EMUFRN) PALCO MULTICULTURAL – PRAÇA DE ALIMENTAÇÃO

(APÓS A SOLENIDADE DE ENCERRAMENTO)

FORRÓ PÉ DE SERRA: SERÁ O BENEDITO (S.G.A.)

Comments

comments

Deixe uma resposta