Tenda Paulo Freire estará no centro das conexões do 8º CBCSHS

Este slideshow necessita de JavaScript.

Presente em boa parte dos eventos da Saúde Coletiva, a Tenda Paulo Freire neste 8º Congresso Brasileiro de Ciências Sociais e Humanas em Saúde estará em direta conexão com o espaço principal do Congresso, a Tenda Palmira Lopes, e em diálogo tanto com a programações cientifica, cultural e política do encontro.

“Como se pode ter igualdade, respeito às diferenças, construção compartilhada do conhecimento e construção do bem-viver, sem que haja democracia? Quando se vive um momento político onde a democracia tem sido ameaçada, então, diretamente, também estão ameaçadas quaisquer formas de construção coletiva que tenham como horizonte processos de libertação de opressões, geração de saberes e práticas que promovam o bem-viver e que respeitem a diversidade da existência humana” explica Marcilane da Silva Santos, integrante da Comissão Organizadora à frente do espaço, ao relacionar o tema da Tenda (Resistência em tempos de ameaça à democracia”) com o  do Congresso (Igualdade nas diferenças: enfrentamentos na construção compartilhada do bem viver e o SUS).

“O SUS merece destaque nessa resposta, tendo em vista que foi uma conquista do povo brasileiro que saía de tempos sombrios,  marcados pela ausência de democracia. Foi grande mobilização social para que se chegasse a este sistema público de saúde, universal e que preza pela igualdade e a equidade. Então, não há como falarmos de SUS sem nos atermos ao fato de que ele é um direito da população brasileira e que tem sido diretamente atacado nos últimos anos” reitera Marcilane.

Em roda e na rua: Nessa edição a configuração da Tenda será um pouco diferente das edições anteriores. As rodas de conversa seguirão com a marca da horizontalidade, da troca de informações e dos saberes produzidos em conjunto pelas pessoas ali presentes. “Cada roda de conversa é única; não apenas porque se debatem temas diferentes em cada uma delas, mas porque tanto as pessoas, como as ideias, os desafios e as perspectivas que surgem acerca de cada temática também são diferentes. Assim, esse diálogo gera uma diversidade de reflexões que nos fazem chegar a novos aprendizados, novas sínteses acerca do tema debatido” ressalta a educadora popular e também mestranda do Programa de Pós-graduação em Educação (PPGE/UFPB).

Já as atividades culturais serão desenvolvidas por grupos populares convidados para apresentações nos intervalos, assim como para integrar e interagir espontaneamente com as demais atividades. Partirá também da Tenda a mobilização para o Ato “Primavera de luta pela paz: ato político, científico e cultural”, a ser realizado no sábado, 28 de setembro. Cartazes, faixas e demais materiais necessários para o ato serão construídos coletivamente na Tenda e, de lá, sairá o cortejo em direção à Praça da Paz, localizada no Bairro Bancários, zona sul de João Pessoa.

Já as práticas integrativas, outra marca das Tendas, dessa vez serão oferecidas no Espaço de Cuidados “Cuidar do Outro é Cuidar de mim”, no Centro de Vivências da UFPB, junto ao Projeto Cuidar-Se (COEP/PRAC/UFPB), por já dispôr de infraestrutura permanente e adequada para as práticas de cuidado.

“Nestes tempos em que Paulo Freire, patrono da Educação brasileira e defensor de uma pedagogia crítica libertadora vem sendo rechaçado e que têm ocorrido inúmeras perdas de direitos, em que a saúde e a educação têm sido diretamente atacadas, tem sido ainda mais importante que continuemos defendendo seu legado. Acreditamos numa educação para a liberdade, numa educação livre de opressões, acreditamos na educação como um direito de todo/a e qualquer cidadã/o. Por isso é importante termos o espaço da Tenda Paulo Freire no Congresso de Ciências Sociais e Humanas em Saúde, e se faz cada vez mais necessário que brademos: Paulo Freire vive!” conclui Marcilane.

Confira a programação da Tenda Paulo Freire no 8º CBCSHS:

1º dia – 27 de setembro
MANHÃ – 08h30 às 10h

Abertura: Resistência em tempos de ameaça à democracia
Convidados/as:
Jocineide Maria Cajueiro (Movimento Popular de Saúde da Paraíba-MOPS/PB);
Antônio Martins da Silva Filho (Oris Night) (Artista e Educador Popular – Olinda-PE);
Helena Leal David (Professora na Faculdade de Enfermagem da Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ).

Coordenação:
Juan Pedro Alves da Silva (Estudante de Graduação em Enfermagem – UFPB; Levante Popular da Juventude).

MANHÃ – 10h30 às 12h
Roda de Conversa – Movimento Sanitário, por onde andas? O que tens feito?

Provocadora:
Simone Maria Leite Batista (Membro da Articulação Nacional de Educação Popular em Saúde – ANEPS; atua na Secretaria de Estado da Saúde de Sergipe).

Coordenação:
Marísia Oliveira da Silva (Professora do Departamento de Psicologia da Universidade Federal da Paraíba – UFPB).

ALMOÇO: 12h às 14h

TARDE – 16h às 17h30
Roda de Conversa – O bem-viver e a Reforma da Previdência: é possível?

Provocadoras:
Mariana Lima Nogueira (Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio/Fiocruz);
Paulette Cavalcanti de Albuquerque (Professora da Universidade de Pernambuco e pesquisadora da Fundação Oswaldo Cruz).

Coordenação:
Gislei Siqueira Knierim (Escola Fiocruz de Governo/DF; Atua profissionalmente junto aos Movimentos Sociais do Campo, da Floresta e das Águas, desenvolvendo projetos de educação em saúde, educação popular, dentre outras).

2º dia – 28 de setembro
MANHÃ – 08h30 às 10h

Roda de Conversa – Terra, nossa casa: O que estamos fazendo?

Provocadores:
Noemi Margarida Krefta (Integrante do Movimento de Mulheres Camponesas; representante no Grupo da Terra; participante do Grupo Gestor do Observatório da Política Nacional de Saúde Integral das Populações do Campo, da Floresta e das Águas);
Cacique Ednaldo dos Santos Silva (Representante dos indígenas Tabajara, da Aldeia Vitória no município de Conde-PB).

Coordenação:
Ângela Maria Pereira (Secretaria Municipal de Saúde de Conde – PB; especialista em Saúde da Família com ênfase em Saúde das Populações do Campo).

MANHÃ – 10h30 às 12h
Roda de Conversa – A arte e a espiritualidade nas Práticas Integrativas e Complementares em Saúde

Provocadores:
Júlio Alberto Wong Un (Professor no Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal Fluminense – UFF);
Maria Betânia da Silva (Graduada em Artes Cênicas pela UFPB, Terapeuta e membro da União Brasileira de Mulheres – UBM);
Maria do Carmo de Amorim (Atua na Secretaria municipal de Saúde de João Pessoa; Mestra em Extensão Rural e Desenvolvimento Local pela UFRPE, Agroecóloga, Terapeuta, integrante do MOPS-PB).

Coordenação:
Aldenildo Araújo de Moraes Fernandes Costeira (Professor do curso de Medicina do Centro de Ciências Médicas da Universidade Federal da Paraíba).

ALMOÇO: 12h ÀS 14h – Acolhimento

TARDE – 14h às 15h30
Roda de Conversa – Respeite a existência ou espere resistência: estratégias de enfrentamento à discriminação das diversidades sexuais

Provocadores:
– Frankla Liberato (Estudante de Graduação em Ciências Sociais pela UFPB);
– Roberto Maia (Coordenador de Promoção à Cidadania LGBT do Centro de Cidadania LGBT de João Pessoa-PB).

Coordenação:
– Fernanda Prudêncio da Silva (Psicóloga e Extensionista do Projeto Educação Popular e Atenção à Saúde da Família – PEPASF/UFPB).

TARDE – 16h
ATO PÚBLICO  “Primavera de luta pela Paz: um ato político, científico e cultural”

3º dia – 29 de setembro

MANHÃ – 08h30 às 10h

Roda de Conversa – Não soltemos as mãos: Em defesa da garantia dos Direitos Humanos

Provocadoras:
– Kadydja Menezes da Rocha Barreto (Membro da Comissão de Direitos Humanos da OAB; Integrante do Grupo: Educadores em Luta de João Pessoa-PB);
– Claudete Francisco de Araújo Ribeiro (Líder Comunitária da Comunidade Santa Bárbara – João Pessoa-PB).

Coordenação:
Robinson Pierre Pereira da Silva Júnior (Estudante de Graduação em Psicologia UFPB e Extensionista do PEPASF/UFPB).

MANHÃ – 10h30 às 12h

Roda de Conversa – Retomando o caminho: A Extensão em Educação Popular na defesa do SUS e do Bem-viver

Provocadores:
Marcilane da Silva Santos (Mestranda em Educação na linha de Educação Popular PPGE/UFPB; ex-extensionista do PEPASF/UFPB; integrante do MOPS-PB);
José Ivo Pedrosa (Professor Titular em Saúde Coletiva da Universidade Federal do Piauí – UFPI).

Coordenação:
– Vinícius André Gouveia de Sousa (Estudante de Graduação em Psicologia; extensionista do PEPASF/UFPB).

ALMOÇO: 12h às 14h
Acolhimento

TARDE – 14h às 15h30

Roda de Conversa – Saúde mental: Resistências e enfrentamentos

Provocadoras:
Ludmila Cerqueira Correia (Professora no Departamento de Ciências Jurídicas da UFPB, onde coordena o Grupo de Pesquisa e Extensão Loucura e Cidadania e o Grupo de Pesquisa Saúde Mental e Direitos Humanos da UFPB);
– Natália Ramos da Silva (Assistente Social e integrante do MOPS-PB).

Coordenação:
– Juciara Noara Santana de Araújo Costa (Psicóloga e Extensionista do PEPASF/UFPB).

TARDE – 16h às 18h

AVALIAÇÃO E ENCAMINHAMENTOS

Provocadores:
– Marcilane Santos (Mestranda em Educação na linha de Educação Popular PPGE/UFPB; ex-extensionista do PEPASF/UFPB; integrante do MOPS-PB);
Ernande Valentin do Prado (Integrante da Rede de Educação Popular e Saúde – RedePop; Coordenação de Apoio Institucional no Centro de Formação de Recurso Humanos da Paraíba).

Coordenação:
Erick Bernard Pereira de Lima (Integrante do MOPS-PB; residente em Saúde da Família e Comunidade em João Pessoa-PB).

4º dia – 30 de setembro
MANHÃ – 08h30 às 10h30

PLENÁRIA FINAL

Coordenação:
– Gildeci Alves de Lira (Professora da Escola Técnica de Saúde da UFPB; Superintendente de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico da UFPB)

Comments

comments

Deixe uma resposta