Temas atuais da conjuntura brasileira terão espaço privilegiado nos Grandes Debates


O novo lugar da saúde nas lutas sociais, a relação homem e natureza, discriminação, teocracia e a solidariedade como motor da produção do conhecimento.  Os temas mais efervescentes da sociedade brasileira na atualidade terão destaque nos Grandes Debates do VI Congresso Brasileiro de Ciências Sociais e Humanas em Saúde (VI CBCSHS), a ser realizado entre 13 e 17 de novembro no Rio de Janeiro. Para preparar esta troca de saberes, a Abrasco lança uma nova série de minientrevistas com os palestrantes convidados.

Desde as primeiras reuniões da Comissão Científica do VI CBCSHS , as questões mais candentes da sociedade ganharam foco dentro do evento.  Para Leny Trad, presidente da Comissão Científica, o formato e a metodologia do VI Congresso buscam duas perspectivas: refletir o que o campo está produzindo e discutir assuntos relevantes e transversais à Saúde Coletiva. “Os Grandes Debates querem abarcar este segundo viés, voltados aos temas em emergência na sociedade. São conteúdos claramente políticos e com eles queremos estabelecer diálogos com atores dedicados à mobilização, juntando academia e movimentos sociais”.

Ao todo, serão seis mesas que vão encerrar as atividades nos dias 15 e 16 de novembro. Estarão reunidos parlamentares, como o deputado federal Jean Wyllys; magistrados, como o juiz Roger Raupp Rios; pesquisadores nacionais e internacionais de diversos campos do conhecimento, como Madel Therezinha Luz e Alain Caillé, e vozes ativas dos movimentos sociais, como Maria do Socorro de Souza, presidente do Conselho Nacional de Saúde (CNS).

Militante da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Agricultura (Contag), Maria do Socorro é a primeira mulher e usuária do Sistema Único de Saúde a ocupar a presidência do CNS. “As ruas abriram o debate de temas antigos, como a luta da saúde, que desde a primeira Conferência Nacional no governo Vargas já apontava a disparidade na relação entre médicos e população e a carência dos serviços nos locais mais afastados. Esses temas sempre foram restritos a espaços institucionalizados e às esferas do poder. A democracia participativa não pode ficar entre quatro paredes, ela precisa de novos atores, de massa crítica.”

Ao abordar sua fala no debate sobre o produtivismo na atividade científica, a professora Madel Therezinha Luz (leia aqui a minientrevista na íntegra) compartilha da mesma opinião. “A universidade e as instituições de pesquisa são habitualmente fechadas em si mesmas. Sair do individualismo e pensar com os outros, para assim criar um pensamento coletivo que não quer agarrar nada para si, mas ofertar um produto bom para todos, é um desafio. Participar de um congresso como o de Ciências Sociais e Humanas em Saúde que traz esta mensagem para o conjunto das ciências, suas instituições e associações é muito importante”.

Confira a programação abaixo:

 

Grandes Debates – 15 de novembro

Horário: das 18h às 19h30

Teocracia e Fundamentalismos na Contemporaneidade: Ameaças à Cidadania e ao Estado Laico

Com Kenneth Rochel Camargo Jr. (IMS/UERJ), Deputado Federal Jean Wyllys (Psol-RJ), Sonia Corrêa (ABIA/Observatório de Sexualidade e Política – RJ) e Roger Raupp Rios (Juiz do TRF-RS)

Local: Teatro Odylo Costa Filho

Movimento Anti-Utilitarista e Produtivismo no Contexto do Capitalismo Atual

Com Roseni Pinheiro (IMS/LAPPIS/UERJ), Alain Caillé (França) e Madel Therezinha Luz (RMPS – RJ)

Local: Auditório 11 – 1º andar – Bloco F

Racismo, Homofobia e outras Formas de Discriminação Social: Repercussões na Saúde

Com Luis Eduardo Batista (SES-SP), Sérgio Luis Carrara (IMS/UERJ), Leny Trad (UFBA), Mônica Alves de Oliveira Gomes ( SEPPIR/DF) e Lucia Maria Xavier de Castro (CRIOLA-RJ)

Local: Auditório 71 – 7º andar – Bloco F

Grandes Debates – 16 de novembro

Horário: das 18h às 19h30

A Reemergência da Mobilização Social no Brasil e o Lugar da Saúde na Agenda de Reivindicações

Com Sonia Accioly (UERJ), Lucas Monteiro (MPL-SP), Paulo Fabio (UFBA) e Maria do Socorro de Souza (CNS-MS)

Local: Teatro Odylo Costa Filho

Vida, Saúde e Ambiente

Com Luis Eugênio Portela (ABRASCO – UFBA), Raquel Rigotto (UFC-CE), Dina Czeresnia (Ensp/Fiocruz – RJ) e Raul Borges Guimarães (UNESP)

Local: Auditório 11 – 1º andar – Bloco F

Precarização do Trabalho e Deterioração das Relações Sociais no Contexto da Crise: Implicações para a Saúde Humana

Com Thiago Barreto Bacellar Pereira (ABRASCO), Giovanni Alves (UNESP), Vladimir Safatle (USP) e Henrique Nardi (UFRGS)

Local: Auditório 71 – 7º andar – Bloco F

Comments

comments

Deixe uma resposta