Congresso de C. Sociais realiza manifestação pública na Praça da Paz

A Praça da Paz é ponto de manifestações populares da capital paraibana

Romper com os limites do discurso acadêmico e com o velho hábito de falar apenas entre os iguais para passar a dialogar com a diferença, na defesa do SUS e de políticas sociais que apontem para uma sociedade mais justa, igualitária e com respeito à diversidade humana e ao bem viver. Motivados pela ideia de fazer das palavras o ponto de inflexão para novas práticas, as comissões científica e Organizadora Local do 8º Congresso Brasileiro de Ciências Sociais e Humanas em Saúde convocam todos e todas as congressistas para o ato “Primavera de luta pela Paz: um ato político, científico e cultural”, a ser realizado no sábado, 28 de setembro, a partir das 16 horas.

A defesa da universidade pública, gratuita e de qualidade e dos eixos que compõem o tema do Congresso têm sido uma constante dos Congressos da área. Na edição de 2016, o ato foi dentro do espaço e da programação do evento, no Teatro da Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT). “Para a atual edição, a ideia é fazer essa manifestação fora da universidade, para que nossas atitudes se tornem mais coerentes com nossos afetos e ideias e que esses ideais nos movam animados!” sentencia Martinho Silva, presidente da Comissão Científica.

Coube à Comissão de Organização Local fazer as costuras para que o ato expresse as diversas vozes, palavras de ordens e manifestações de diversos cantos do país. “Numa conjuntura política que aponta para vários retrocessos no campo das políticas sociais conquistadas a duras penas pelos movimentos sociais ao longo dos últimos anos, esse movimento constitui-se uma renovação das lutas” aponta Aldenildo Araujo Costeira, professor do Departamento Promoção da Saúde do Centro de Ciências Médicas da UFPB e integrante da Comissão Organizadora Local do Congresso.

Política, cultura e experimentação: O ato terá  uma forte inserção cultural, na tentativa de ampliar a mobilização por meio da arte. A partir das 15 horas, a Tenda Paulo Freire será o ponto central de organização e mobilização dentro do campus da UFPB. Manifestantes poderão produzir coletivamente cartazes, faixas e demais materiais para o ato na Tenda e então serão convidados a se posicionar na entrada do Centro de Ciências Humanas Letras e Artes (CCHLA) por volta das 16h30. Em cortejo mobilizado por um carro de som e animado pela batida do Maracatu do grupo Maracastelo, o ato começa na marcha até a Praça da Paz, às 17 horas. A caminhada deverá durar cerca de 15 a 20 minutos e as atividades seguirão , alternando falas políticas com apresentações dos grupos artísticos culturais, .

Já no palco do anfiteatro da Praça da Paz, a trupe PalhaSUS terá a responsabilidade do cerimonial, intercalando falas de representações de sindicatos e associações docentes, como a ADUFPB e SINTESP, e representações estudantis, como DCE-UFPB, UNE, UEE e Movimento Levante, com os artistas ligados à Educação Popular: Ray Lima (CE), Elias José (CE), Edson Oliveira (CE), Edvan Florêncio (CE) e Oris Day (PE). Além deles, grupos locais de Hip-hop que geralmente ocupam o espaço já estão convidados para apresentar suas batalhas de versos e rimas. A coordenação de cultura do ato está sendo organizado pelas professoras Kátia Ribeiro (UFPB) e Vera Dantas (UFC).

Devido ao local e horário, é indicado ir com roupas leves e levar bastante água para manter-se hidratado e hidratada. E como a humanidade é feita não só de política e cultura, Aldenildo adianta que o entorno da Praça é um dos locais mais interessantes da capital paraibana. “Fazer atividades turísticas no bairro depois do ato é uma ideia bem interessante. O Bairro dos Bancários, onde fica a Praça da Paz, é uma região onde tem uma rica cena gastronômica local, com bares, restaurantes e toda a boemia local, em conexão com a vida universitária”. Esse é somente mais um dos motivos que vai fazer o ato “bombar”. Venha junto e some-se ao movimento.

Ato “Primavera de luta pela Paz: um ato político, científico e cultural”
Dia 28 de setembro, a partir das 16 horas
Pontos de concentração:
A partir das 15 h, na Tenda Paulo Freire; A partir das 16h, na entrada do Centro de Ciências Humanas Letras e Artes (CCHLA/UFPB)
Saída do cortejo: programada para às 16h30
Chegada à Praça da Paz: prevista para 17h20
Ponto de encontro: Anfiteatro da Praça da Paz – Bairro dos Bancários, Zona Sul – João Pessoa (acesse o mapa)

 

 

Comments

comments

Deixe uma resposta