Divulgada a programação científica do 7º CBCSHS


Fruto da construção coletiva em todas as suas etapas, o 7º Congresso Brasileiro de Ciências Sociais e Humanas em Saúde (7º CBCSHS) apresenta a todos a sua programação. A intenção da Comissão Científica foi montar uma programação que reúna as mais variadas visões e investigações sobre a dimensão social do processo saúde e doença, bem como evidenciar propostas e projetos que apontem avanços e rupturas frente aos atuais modelos estabelecidos. De 09 a 12 de outubro, o campus da Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT) será um ponto de concentração do pensamento vivo em saúde. Venha se somar a esse momento. Acesse o site e inscreva-se.

Ao contrário das últimas edições, a abertura do congresso será na manhã do segundo dia, 10, reservando o dia 09 para cursos, oficinas e a chegada dos demais participantes (veja detalhes abaixo). Após uma rápida cerimônia, a Conferência de Abertura será proferida por Paulo Henrique Martins, professor titular de Sociologia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e pesquisador dos Programas de Pós-Graduação em Sociologia e em Saúde Coletiva da UFPE. O tema será “Epistemologias do Sul e seus impactos sobre as ações e políticas em saúde no Brasil”.

Tanto a primeira faixa (das 8h30 às 10h30) como a segunda faixa horária da manhã (10h45 às 12h) e concentrarão as mesas-redondas e palestras, que trarão os debates das grandes temáticas estruturantes do congresso e avaliações das atuais políticas nacionais de saúde. Nessa faixa concentram-se também as atividades do GT Ampliando Linguagens, dando destaque para produções científicas apresentadas em diferentes suportes e linguagens, como performances e produções audiovisuais.

A parte da tarde inteira é dedicada aos grupos de trabalho, propostos pela comunidade científica da Saúde Coletiva e dos serviços. Ao todo serão 31 GTs, em profunda sintonia com as mesas redondas e palestras programadas pelo horário da manhã. Reforçamos que o ideal é que o participante, mesmo que inscrito como ouvinte, acompanhe um dos grupos na íntegra nos três dias do evento.

As duas noites do congresso receberão os grandes debates. Neste ano, grandes nomes da Saúde Coletiva brasileira irão expor seus olhares e visões sobre os dois temas centrais do evento: Pensamento crítico, Emancipação e Alteridade: Agir em Saúde na (A)Diversidade, que contará com as exposições de Maria Lúcia Bosi (UFC); Paulo Henrique Novaes Albuquerque (UFPE); Kenneth Rochel Camargo (IMS/Uerj) e Leny Trad (ISC/UFBA e Abrasco) na noite do dia 10, e Sociedade, Subjetividade e Saúde: Desafios do SUS em Tempos de Crise Democrática, com falas de Gastão Wagner de Sousa Campos (Unicamp e Abrasco); Alcides de Miranda (UFRGS); Roseni Pinheiro (IMS/Uerj); Luis Eugenio Portela (UFBA) e a mexicana Carolina Tetelboin Henrion (Mexico), na noite de 11 de outubro. No final deste dia, haverá ainda um grande ato em defesa da democracia e do SUS.

Cursos ampliam dimensão formativa: O primeiro dia (09) é dedicado aos cursos e oficinas temáticas de serviços e/ou dos grupos temáticos da Abrasco. Os cursos são uma forma de dar possibilidade de aprofundamento a temas variados, como os desafios das pesquisas quanti-qualitativas em Saúde Coletiva; Análise Institucional das práticas em SC; AIDS, sexualidade e ativismo; saúde e jornalismo; Educação popular e Extensão popular na formação em saúde; metodologia do pensamento de Pierre Bourdieu, e ações em doenças emergentes. As inscrições são limitadas e devem ser realizadas até 30 de setembro. Clique aqui e confira.

Comments

comments