Assembleia atualiza e amplia formas de deliberação da Abrasco

Este slideshow necessita de JavaScript.

Uma Abrasco em sintonia com os novos tempos e atualizada em suas práticas foram as motivações para a convocação da Assembleia geral da Associação Brasileira de Saúde Coletiva, realizada em 26 de setembro, no Auditório do Centro de Ciências Médicas da Universidade Federal da Paraíba (CCM/UFPB), no encerramento do primeiro dia de pré-congresso do 8º CBCSHS.

Conduzida pela presidente Gulnar Azevedo e Silva e pelo secretário-executivo Thiago Barreto, a mesa apresentou, de maneira objetiva e sucinta aos associados e associadas presentes, três adequações necessárias ao Estatuto da Abrasco: ampliação das formas de votação para a constituição da diretoria da entidade; definição dos braços institucionais da Abrasco em São Paulo (SP) e Pelotas (RS) como filiais, e a oficialização da cobrança de assinaturas para periódicos científicos, como feito pela revista Ciência & Saúde Coletiva.  Por aclamação, as alterações foram aprovadas pela Assembleia.

A principal mudança é abrir a possibilidade de novos modelos de votação e participação nas deliberações políticas e mais gerais da entidade, possibilitando, entre outras formas,  o uso de meios eletrônicos.  “Com essa mudança, permite-se que os associados e associadas possam votar e serem votados à distância com meios que não existiam quando da nossa fundação. Acreditamos que assim possa se ampliar a adesão e participação de associados e associadas  na escolha dos dirigentes da entidade, com mais e melhores condições de envolver o conjunto da Abrasco  na definição da suas lideranças”, enfatizou Thiago Barreto. A adoção de novos meios não inviabiliza os anteriores, como a votação em urna durante o principal fórum da entidade, o Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva.

Liberdade de cátedra e boas-vindas: Após as votações, foi levantada a preocupação de proteger e garantir o exercício do pensamento crítico nas pesquisas e estudos produzidos tanto pelos grupos temáticos e comissões como de associados individuais. Foi relembrado que em fevereiro deste ano, a Abrasco somou-se a outras instituições de ensino e pesquisa e associações científicas e assinou o termo de cooperação para acompanhamento e enfrentamento de denúncias sobre assédios, violências e outras formas de ações arbitrárias contra a prática docente e liberdade de cátedra, formalizado pela Procuradoria Federal de Direitos do Cidadão do Ministério Público Federal (PFDC/MPF). Decidiu-se também conferir outras estratégias de proteção e defesa da liberdade de cátedra lideradas e adotadas por demais entidades parceiras brasileiras e estrangeiras.

Ao final, Martinho Silva e Tatiana Gehart, da Comissão de Ciências Sociais e Humanas em Saúde, deram os informes sobre a montagem e organização do Congresso que, apesar de todas as dificuldades orçamentárias enfrentadas, conseguiu materializar integralmente sua proposta e desenho. “Conseguimos dar o melhor de nós, e temos certeza que desse grande encontro sairá uma riqueza nessa diversidade, o que nos alenta e fortalece em nossos desafios, seja na pesquisa em saúde, em sala de aula ou no cotidiano dos serviços do SUS” concluiu Tatiana Gehart.

Para a presidente da Abrasco, a realização da Assembleia marcou um ótimo início de Congresso.”Atualizar essas questões operacionais em nosso Estatuto vão facilitar nossa existência enquanto Associação. É valorosa a participação de associados e associadas presentes, que expuseram suas visões sobre esses aspectos e colocaram outras preocupações pertinentes. Foi um encontro objetivo e com ele a gente avança e dá um gás maior para nossa entidade” destacou Gulnar Azevedo e Silva.

Comments

comments

Deixe uma resposta