Aberto o VI CBCSHS


A solenidade de abertura do VI Congresso Brasileiro de Ciências Sociais e Humanas em Saúde aconteceu nesta quinta às 19h00 no Teatro Odylo Costa Filho da UERJ. Na cerimônia, o presidente do Congresso, Kenneth Camargo ressaltou a importância da participação dos GTs pelo Brasil na definição dos temas em discussão no evento. Madel Luz proferiu conferência, encerrando a noite.

O VI CBCSHS começou com uma grande Mesa de Abertura. Plena de instuições parceiras que reverenciaram de diferentes maneiras o tema Circulação e Diálogo entre saberes e práticas no campo da saúde coletiva. A presidente do Conselho Nacional de Saúde (CNS), Maria do Socorro Souza enfatizou que “no navio que é o CNS, a Abrasco é a bússola norteadora, junto com o Cebes e a Rede Unida. Confirmamos em 2013, que juntos temos mais força para colocar a saúde na agenda do Brasil, nesse país que agora vai para as ruas. Nós sempre estivemos nas ruas”, lembrou. Além de Socorro, deram as boas vindas aos congressistas o presidente da Fiocruz, Paulo Gadelha; a vice-presidente do VI CBCSHS, Roseni Pinheiro; o presidente do VI CBCSHS, Kenneth Camargo; o Secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, Carlos Gadelha; a diretora de programas da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Mônica Gomes; o diretor do IMS, Cid Manso e o presidente da Abrasco, Luis Eugenio de Souza.

O presidente da Abrasco ressaltou a importância da variedade temática que estará presente nos grandes debates “é com estas discussões que conseguiremos desenvolver um Sistema Único de Saúde para todos, aqui no Brasil”, referiu.

A Conferência de Abertura foi proferida por Madel T. Luz professora colaboradora da UFF e do PPGCOM da UFRGS. Com o título Pequenas destruições, danos irreparáveis: comentários aos modos sociais de vida no capitalismo pós moderno e implicações na saúde, Madel chamou a atenção para o campo das Ciências Sociais pensando a vida e a saúde atuais, “Saúde Coletiva é uma questão urgente, precisamos agir, em futuro imediato, buscando construir uma sociedade mais justa e mais sadia, certos que no estilo da sociedade atual a saúde e as vidas humanas estão em perigo. Mas não apenas a nossa vida, como acentuei no início desta conferência, como a de outras espécies também. Isto é, a vida do Planeta como um todo. Estaremos chegando ao ponto de ter que ceder lugar na Terra a outras espécies, ou a artefatos mecânicos pensantes, devemos refletir”, desafia. Confira aqui a íntegra da Conferência de Abertura:

SLIDES E APRESENTAÇÃO

Comments

comments

Deixe uma resposta