8º CBCSHS: arte nordestina é resistência

Este slideshow necessita de JavaScript.

A programação cultural – nos encontros abrasquianos – é pensada como uma janela para a cidade anfitriã: os congressistas, de todos os cantos do Brasil, têm um vislumbre da arte que permeia a vida de quem por ali existe. O “ali”, agora, é João Pessoa, capital da Paraíba, que sediará o  8 º Congresso Brasileiro de Ciências Sociais e Humanas em Saúde, de 26 a 30 de setembro. Artistas e grupos diversos ocuparão os espaços – entre palestras, apresentações de trabalho e tudo mais que compõe a programação científica – “antecedendo e alimentando debates, por meio da música, da encenação e da cenopoesia”, como explica Kátia Ribeiro, integrante da Comissão Organizadora Local e docente da Universidade Federal da Paraíba.

Além de paraibanos, o 8 º CBCSHS receberá artistas de Pernambuco e Ceará – a ideia da Comissão Organizadora é demonstrar a pluralidade e riquezas culturais do nordeste, também expressão da resistência: “Esperamos mostrar aos participantes do Congresso elementos da cultura popular nordestina que, ao mesmo tempo em que trazem a alegria desse povo, com seus ritmos e figuras representativas, têm um posicionamento político muito claro, defendendo a democracia e os Direitos Humanos”, comenta Katia.

Em consonância com a forte presença dos movimentos sociais no congresso, as  atividades culturais programadas pretendem apoiar as manifestações políticas: o ato público “Primavera de luta pela Paz: um ato político, científico e cultural”, que acontecerá no dia 28/09, será endossado pelo Coletivo Maracastelo, grupo de maracatu, e o PalhaSUS, projeto que leva arte da palhaçaria para pessoas hospitalizadas. Kátia afirma, ainda, que a programação cultural pretende “fomentar a construção do bem viver e fortalecer a resistência”.

Confira a programação cultural:

Comments

comments

Deixe uma resposta