Capes divulga resultados da Avaliação Quadrienal


O Sistema Nacional de Pós-Graduação (SNPG) teve revelado seu retrato atual com a divulgação da Avaliação Quadrienal da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – Capes. Os resultados foram publicados na manhã desta quarta-feira, 20 de setembro.

A Avaliação analisou os projetos político-pedagógicos, a inserção social e a produção científica docente e discente de 4.175 programas de pós-graduação (PPG) distribuídos em 49 áreas de conhecimento. Do total, 465 PPG compõem o topo da classificação, ranqueados pelas notas 6 e 7, enquanto 119 programas não alcançaram a nota mínima, devendo ser descredenciados pela agência de fomento.

Atuam na pós-graduação brasileira 72.342 docentes, entre permanentes e colaboradores. Os dados mostram o aumento de 76% no número de estudantes formados pelo SNPG em comparação com a última avaliação – trienal, realizada em 2013. Foram 292.938 mestres e doutores titulados nos últimos 4 anos. A produção intelectual também segue em alta, com 2.752.218 artigos, livros, relatórios e demais produções técnicas – um crescimento de 84% quando comparado com a avaliação de 2012.

+ Acesse aqui o hotsite da Avaliação Quadrienal

Na área da Saúde Coletiva, foram avaliados 87 programas, sendo 51 acadêmicos (44 em avaliação e 7 em acompanhamento) e 36 profissionais (34 em avaliação e 2 em acompanhamento). Todos pontuaram a partir da nota 3, não havendo necessidade de descredenciamento de nenhum dos PPG em atividade atualmente. As notas ficaram assim distribuídas: 35 PPG obtiveram nota 3; 29 PPG computaram nota 4, e 13 PPG a nota 5. Foram 7 PPG com nota 6, e 3 programas com nota 7. A área concentra um percentual de 26% de seus programas que oferecem cursos de doutorado com notas 6 e 7, acima do percentual médio, considerando todas as áreas de conhecimento (21%). Dos 35 PPG ranqueados na nota 3, 14 deles iniciaram seu funcionamento a partir de 2014 e não tiveram tempo suficiente para um ciclo de avaliação completo tendo, portanto, mantido a nota obtida quando de sua abertura. O gráfico abaixo traz a distribuição das notas pelos tipos de programa: com mestrado acadêmico (ME) e doutorado (DO), só doutorado, só mestrado acadêmico, e só mestrado profissional (MP).

O processo de avaliação foi realizado em dois momentos distintos: entre 17 e 22 de julho os programas acadêmicos; e de 31 de julho a 5 de agosto os profissionais. Participaram da avaliação 27 professores consultores e os três coordenadores de área. Para Guilherme Werneck, coordenador titular da área junto à Capes, os resultados demonstram tanto o crescimento como a consolidação da Saúde Coletiva no âmbito do SNPG. “Nota-se um aumento contínuo e equilibrado do número de PPG acadêmicos e profissionais, saindo de 71, na trienal de 2013, para 87 PPG na avaliação atual. Ainda que persistam as disparidades regionais na distribuição dos PPG, ao longo dos último 3 anos observa-se um tendência a sua diminuição, com a abertura, por exemplo, de seis cursos de doutorado criados a partir de 2014 nas regiões Norte, Nordeste ou Centro-Oeste do país”.

O coordenador destaca outros números: em relação à trienal 2013 houve um aumento de 33% e 47% no número de docentes permanentes atuando em programas acadêmicos e profissionais, respectivamente. Apesar de uma redução de 5% na média anual de dissertações (mestrados acadêmicos) defendidas, houve aumento expressivo – de 75% e 24% – na média anual de trabalhos de conclusão de curso (mestrados profissionais) e teses defendidas, respectivamente. Os docentes do quadro permanente têm publicado cerca de 3,7 artigos por por ano, com aumento da qualidade dos mesmos –  a quadrienal 2017 contabilizou média de 0,5 artigos publicados em periódicos A1 por docente permanente por ano, superior à média de 0,2 aferida na trienal 2013. “Esse panorama não deixa dúvidas de que a Saúde Coletiva é uma área consolidada e que deve utilizar sua liderança acadêmica no âmbito do SNPG para estimular uma modificação dos procedimentos de avaliação de forma a contemplar os novos desafios científicos, tecnológicos e de inovação da sociedade contemporânea”, afirma Werneck.

Clique e acesse o Relatório de Avaliação 2013-2016 – Área Saúde Coletiva, disponível na Biblioteca. A discussão sobre a Avaliação Quadrienal será um dos pontos da próxima reunião do Fórum de Coordenadores, que acontecerá nos dias 23 e 24 de novembro, em Salvador, Bahia.

Comments

comments




Comments

comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *