Uma política de Incentivo fiscal a agrotóxicos no Brasil é injustificável e insustentável

Liderado pelos pesquisadores Wagner Lopes Soares (docente PPGPDS/UFRRJ); Lucas Neves da Cunha (mestre pela PPGPDS/UFRRJ) e Marcelo Firpo S. Porto (ENSP/Fiocruz – GTSA/Abrasco), avalizado pelo Grupo Temático Saúde e Ambiente (GTSA/Abrasco) e com apoio do Instituto Ibirapitanga, o relatório “Uma política de Incentivo fiscal a agrotóxicos no Brasil é injustificável e insustentável” destaca que a […]

Dossiê Científico e Técnico contra o Projeto da Lei do Veneno 6299/2002

Dossiê Científico e Técnico contra o Projeto da Lei do Veneno 6299/2002 e a favor do Projeto de Lei que instituiu a Política Nacional de Redução de Agrotóxicos – PNaRA Há vários anos no Congresso Nacional a Bancada Ruralista vêm se articulando para desmontar o já frágil aparato regulatório brasileiro diminuindo a importância das medidas de proteção […]

Ciência & Saúde Coletiva – Março de2017

Este número temático analisa o crescimento e a colaboração para ações de atenção básica em saúde nas cidades do Rio de Janeiro e de Lisboa. Ambas as cidades implementaram Reformas dos Cuidados Primários, expandiram serviços, inovaram em mecanismos de governança e deram maior autonomia às equipes técnicas. No município do Rio de Janeiro, a expansão dos serviços, através da cobertura com equipes completas de Saúde da Família, passou de 3,5% (dezembro/2008) para 65,0% (dezembro/2016), abrangendo quatro milhões de cariocas. Os artigos aqui publicados contam esta história.

Ciência & Saúde Coletiva – Fevereiro de 2017

Os estudos apresentados nesta edição recobrem as seguintes questões: relação entre alimentação e políticas sociais; vinculação entre qualidade dos alimentos e o uso de agrotóxicos; qualidade da dieta de diferentes grupos populacionais, com ênfase nos escolares e nos idosos; doenças provocadas por distúrbios alimentares como a diabetes, e as atinentes à ausência de elementos nutricionais primordiais; segurança e insegurança alimentar; e vários dispositivos metodológicos para avaliação de aspectos nutricionais que afetam a saúde.

Ciência & Saúde Coletiva – Janeiro de 2017

Este número temático trata das dificuldades dos pesquisadores médicos aderirem à pesquisa qualitativa, de um lado. De outro, apresenta um série de artigos, frutos de pesquisas empíricas ou de revisão em que esses profissionais aparecem como primeiro autor ou como membro de grupos de pesquisa. A pergunta chave desta edição é: por que no exercício de uma atividade de cunho tão humanista e intersubjetivo existem fortes resistências para conhecer e reconhecer a cientificidade do método qualitativo?

Ciência & Saúde Coletiva – Dezembro de 2016

A edição temática 21.12 da Revista Ciência & Saúde Coletiva de dezembro de 2016 “Eventos acidentais: desafios para as políticas públicas, vigilância e prevenção” apresenta dados, reflexões e propostas sobre um tema que aflige o Brasil e o mundo: as mortes, lesões e traumas por eventos considerados acidentais. No Brasil, os acidentes constituem a 2ª causa de morte por violência e 80% das internações no SUS. E no mundo é a primeira, sendo 29,1% por acidentes de trânsito e 11,6% por quedas. Esta edição aprofunda o tema, chamando atenção para a magnitude dos dados e as possibilidades de prevenção.

Ciência & Saúde Coletiva – Novembro de 2016

Dos mais de 26 milhões de idosos brasileiros, a maioria é saudável, grande parte está ativa, em plena capacidade funcional e, inclusive, muitos mantêm sua família ou contribuem para tanto. Mas, uma parte expressiva possui alguma ou múltiplas dependências físicas, mentais e sociais. Essas pessoas são as mais vulneráveis a doenças, violências, negligências e abandono e são as que sentem mais necessidade de proteção da família, da sociedade e do estado. É particularmente sobre esse grupo que este número temático se debruça, analisando suas fragilidades frente ao HIV/AIDS, doenças renais, complicações metabólicas, baixa qualidade da dieta, obesidade, problemas odontológicos e uso inapropriado de medicamentos, dentre vários outros assuntos tratados neste número temático.

Ciência & Saúde Coletiva – Outubro de 2016

Na edição 21.10 de outubro de 2016 examina-se o tema da deficiência e sua abordagem pela saúde pública no Brasil e no mundo. Organizado por três pesquisadores de três instituições distintas – Eucia B. Petran, da USP de Ribeirão Preto, Fátima G. Cavalcante, da Universidade Veiga de Almeida e Eduado J. Manzini, da UNESP de Marília – o número temático apresenta estudos sobre a prevalência da deficiência em nível nacional; sobre deficiência e sociedade, com ênfase no esporte, tecnologias sociais e políticas públicas; sobre deficiência e família e sobre os vários tipos de deficiência, abordando tratamentos, recursos terapêuticos, redes de apoio, com destaque para os papéis familiares, diferenças de gênero e faixa etária.