Em debate, Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade e Mais Médicos na Atenção Básica do Rio de Janeiro

Nesta sexta-feira, dia 17 de fevereiro, a equipe do instituto de Saúde Coletiva (ISC) da Universidade Federal Fluminense (UFF) em associação aos professores dos campi de Nova Friburgo e Pádua, estarão recebendo os professores Gastão Wagner Campos e Sérgio Resende Carvalho ambos da Universidade Estadual de Campinas(UNICAMP), para discutir alguns resultados do Estudo sobre os Efeitos do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade(PMAQ) e Mais Médicos na Atenção Básica no Estado do Rio de Janeiro.

A reunião será aberta aos interessados no horário de 10h00 às 12h00, no auditório Prof. Tomassini no ISC, 3º andar do prédio anexo ao HUAP – Hospital Universitário Antonio Pedro Rua Marques de Paraná, 303, em Niterói. À tarde, de 13h00 às 15h30 está agendada a defesa da dissertação do mestrando Henrique Sater de Andrade, intitulada “Medicina de Família e Comunidade: emergência e crítica de uma formação discursiva”. Na banca, os professores de Campinas e mais Cesar Orazem Favoreto da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), Márcia Guimarães de Mello Alves e Gisele Caldas Alexandre do ISC/UFF. A defesa será no anfiteatro Aloysio de Paula (2º  andar do prédio do HUAP).

Sérgio Resende Carvalho atuou como médico generalista e junto a movimento sociais no Brasil, América Central e Cuba nos anos 80. Atualmente é Professor Associado do Departamento de Saúde Coletiva da Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp, área de Políticas Públicas, Planejamento e Gestão. Coordena a linha de pesquisa ‘Políticas da Subjetividade e Saúde Coletiva: conexões?’. Tem se interessado, em especial, em refletir sobre novas possibilidades para o pensamento e práticas no campo da Saúde Coletiva do diálogo com a a produção dos “pensadores da diferença” (Foucault, Deleuze, Guattari, Espinosa, Nietzche e outros) e de autores brasileiros e de outros países (Nikolas Rose, David Armstrong) que vêm, no campo da saúde, dialogando com este referencial.

O médico sanitarista Gastão Wagner de Sousa Campos, é professor titular do Departamento de Saúde Coletiva da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp, e é presidente da Associação Brasileira de Saúde Coletiva – Abrasco, para o mandato de três anos (2015-2018). Ex-secretário de saúde da prefeitura de Campinas e ex-secretário executivo do Ministério da Saúde, Gastão também é membro dos corpos editoriais das revistas Trabalho, Educação e Saúde e Ciência & Saúde Coletiva. Tem experiência na área de Saúde Coletiva, com ênfase em Saúde Pública; e atua nos seguintes temas: antitaylor, democracia em instituições e gestão de instituições.

Comments

comments